Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Subsidiária da Ambev vai patrocinar o carnaval de rua de São Paulo em 2019

Empresa vai investir R$ 16,1 milhões na folia; na primeira concorrência, lançada em 9 de janeiro, era previsto lance mínimo de R$ 19 milhões e não houve interessados

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2019 | 12h44
Atualizado 06 Fevereiro 2019 | 15h36

O carnaval de rua de São Paulo será patrocinado por uma subsidiária da Companhia de Bebidas das Américas (Ambev). A "Arosuco Aromas e Sucos" foi a empresa vencedora, com proposta de R$ 16, 1 milhões - o lance mínimo era de R$ 15 milhões. A Arosuco faz parte do grupo de empresas da Ambev, mas a marca patrocinadora é a Skol. A abertura de envelopes das duas empresas interessadas ocorreu na manhã desta quarta-feira, 6.

O edital prevê que a empresa vencedora pode se associar a até quatro outras empresas e tem o direito de expor a marcas nos banheiros químicos, balões infláveis no entorno dos blocos, caixa de isopor portátil, pórticos, placas de sinalização e painéis de programação. A Secretaria Municipal de Prefeituras Regionais esclarece que a patrocinadora não terá direito utilizar logomarca em trios elétricos e blocos de rua. 

Sem interesse

No primeiro certame, lançado em 9 de janeiro, nenhuma empresa havia apresentado proposta. A concorrência aberta pela Prefeitura anteriormente previa que a vencedora deveria investir ao menos R$ 19 milhões. Já no carnaval de 2018, o edital definia R$ 15 milhões para investimento. 

Este ano, a Prefeitura recebeu a inscrição de 624 blocos para este ano e a previsão de público é de 5 milhões de pessoas entre o pré-carnaval (nos dias 23 e 24 de fevereiro), carnaval (De 2 a 5 de março) e o pós carnaval (nos dias 9 e 10 de março). 

Regras

A empresa vencedora deverá seguir algumas normas estabelecidas pela Prefeitura, como disponibilizar até R$1 milhão do valor total de recursos em veículo automotor de som e ambulância para blocos comunitários.

A novidade este ano no carnaval de rua de São Paulo é que os blocos com até 4 mil foliões e que tenham pelo menos três anos de história poderão declarar-se comunitários no ato de inscrição e assm terão direito a equipamentos durante os desfiles, entre os dias 2 e 5 de março. 

A dispersão dos blocos carnavalescos deverá ocorrer até 20 horas.

Mais conteúdo sobre:
Ambevcarnavalbloco de carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.