Subprefeituras criam força-tarefa na Vila Madalena durante Copa

Três subprefeituras vão fiscalizar região. Bairro começou a ter problemas há 15 dias e só agora vai ganhar banheiro químico

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2014 | 21h02

SÃO PAULO - Após uma semana de Copa do Mundo e na terceira partida do Brasil na competição, a Prefeitura resolveu preparar uma força-tarefa na Vila Madalena, na zona oeste da capital - região que concentra bares e restaurantes e tem sido ponto de encontro de torcedores brasileiros e estrangeiros. 

De acordo com a vice-prefeita, Nádia Campeão (PC do B), a fiscalização será triplicada, ruas terão interdições e 40 banheiros químicos estarão à disposição dos torcedores. Segundo ela, a quantidade de equipamentos será reforçada em dias de jogos do Brasil, fins de semana e quando houver partidas na Arena Corinthians.

Na tarde desta sexta-feira, 20, a vice-prefeita se reuniu com os secretários Chico Macena, da Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, e Simão Pedro, da Secretaria Municipal de Serviços, para definir estratégias para o bairro. Após as partidas, as ruas têm acumulado montanhas de lixo e ficado com forte cheiro de urina. 

Além da Subprefeitura de Pinheiros, responsável pela região, as Subprefeituras da Lapa e do Butantã também vão participar da força-tarefa, triplicando a capacidade de fiscalização. “A Prefeitura pode incrementar seu trabalho de fiscalização e de limpeza urbana. Já melhorou bastante mas nós vamos fazer outros esforços agora”, disse Nádia.

A Prefeitura não divulgou a quantidade de agentes que a região deve receber, mas eles devem fiscalizar desde ambulantes irregulares até comerciantes que estejam desrespeitando as regras do Programa de Silêncio Urbano (Psiu). 

Para melhorar o fluxo de torcedores e garantir mais segurança no trânsito do bairro, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai interditar as Ruas Aspicuelta, Wisard, Morato Coelho, Fidalga e Fradique Coutinho nos dias de partidas. Os bloqueios serão feitos no bairro a partir das 13h. No carnaval deste ano, um motorista embriagado avançou contra foliões nas ruas da região.

Depois desse horário, de acordo com Nádia, apenas os moradores credenciados poderão circular nas ruas bloqueadas. A CET começará a fazer o cadastramento neste fim de semana, garantiu a vice-prefeita. 

“Quem é morador não terá nenhum problema. Isso facilita que eles (da Prefeitura) façam a organização da região. Se tem outros veículos transitando junto com pessoas, complica para fazer o trabalho de limpeza e de combate ao comércio ilegal”, afirmou Nádia Campeão. 

A Prefeitura também vai adiantar o processo de varrição das ruas. Assim que as partidas terminarem e os torcedores começarem a deixar os bares, os garis começarão a fazer o trabalho de fora para dentro. Ou seja, das áreas da Vila Madalena com menor acúmulo de pessoas para as partes do bairro onde os torcedores ficam concentrados durante as partidas.

Surpresa. Uma das surpresas positivas que a Prefeitura de São Paulo teve ao longo dos 15 dias de Copa do Mundo foi a alta concentração de turistas, torcedores e paulistanos na região da Vila Madalena. Nesta quinta, durante uma coletiva de imprensa, a vice-prefeita Nádia Campeão já havia afirmado que a administração municipal esperava uma alta concentração nos bares da região da Avenida Paulista. 

De acordo com ela, durante o planejamento para a Copa do Mundo as áreas do entorno de Itaquera e do centro foram as regiões identificadas como as de maior afluxo. “Todos os consulados pediram que fizéssemos reforços na região da Avenida Paulista. Então, acho que temos uma escolha interessante para a cidade de São Paulo na Vila Madalena”, afirmou Nádia Campeão.

Tudo o que sabemos sobre:
Vila Madalena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.