Subprefeitura vistoria edifícios atingidos por incêndio no centro de SP

Moradores agora estão com medo de que haja invasão dos apartamentos por parte de sem-tetos

Laura Maia, O Estado de S. Paulo

11 Novembro 2013 | 19h54

Após vistoria técnica, fiscais da Subprefeitura da Sé indicaram nesta segunda-feira, 11, os reparos que os responsáveis dos prédios atingidos por um incêndio na sexta-feira, 8, devem realizar para que haja a liberação dos imóveis no centro da cidade. A Polícia Civil também esteve no local, mas, segundo o delegado Newton Santos Costa, do 3° DP (Campos Elísios), a perícia ainda não foi concluída.

Os edifícios Agulhas Negras e Windsor, que ficam na esquina da Avenida Ipiranga e Rio Branco, estão interditados desde a madrugada de sexta, após serem atingidos por um incêndio de grandes proporções que destruiu completamente a academia recém-inaugurada Smart Fit.Um homem de 70 anos que teve 15% do rosto queimado e uma criança continuam internados em estado grave na Santa Casa e no Hospital das Clínicas, respectivamente.

Medo. Depois de ao menos oito moradores do edifício Agulhas Negras terem registrado, no 3° DP, casos de furto nos imóveis interditados, o medo agora é de que haja invasão por parte de grupos sem teto que vivem no centro. "Eles passam ameaçando a gente.Ontem (domingo) fizemos uma 'vaquinha' e contratamos um segurança por R$ 250 para ficar na portaria das 22h até às 6h", conta a moradora do primeiro andar Ana Glória Oliveira, de 31 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.