Sua voz inaugurou o sambódromo

Jurandir Oliveira, locutor do Anhembi

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

05 Março 2011 | 00h00

Quem assistiu ao começo do carnaval de São Paulo ontem pela televisão pode não ter ouvido, mas ele começou assim: "Carnaval 2011, passarela do samba! Vem aí o Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Unidos do Peruche! A passarela é de vocês! Arrrrrepia rapaziaaaaada" - e "nesse arrrrrepia" o mundo "vem abaixo", segundo Jurandir Oliveira, o Mestre Sabu. Ele é o locutor oficial do desfile paulistano há 20 anos, "a voz que inaugurou o sambódromo".

Desde então, nunca faltou ao microfone. E, aos 84 anos, Sabu nem quer pensar no dia em que as arquibancadas vão deixar de ouvir sua voz.

Nascido em Itajubá, Minas Gerais, se mudou para São Paulo ainda jovem. Foi policial nos anos 1960 e levou quatro tiros em uma operação - ainda tem um projétil no abdome.

Começou por acaso na locução. Apaixonado desde criança por samba e carnaval, foi músico, mas tinha pavor de um microfone. Exatamente durante um desfile de carnaval - que ainda ocorria na Avenida Tiradentes - o locutor havia faltado. Só tinha Sabu por perto, que trabalhava na Prefeitura. Foi convocado às pressas para anunciar as escolas. Soltou o vozeirão e nunca mais parou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.