STJ nega habeas a acusado de liderar Máfia dos Fiscais em SP

Ex-assessor político da subprefeitura da Mooca, Georges Marcelo Eivazian, foi preso em julho com outros 10

da Redação, estadao.com.br

07 de agosto de 2008 | 21h43

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou na quarta-feira, 6, o pedido de liberdade do ex-assessor político da subprefeitura da Mooca Georges Marcelo Eivazian. Ele foi preso em 11 de julho sob acusação de ser um dos líderes da Máfia dos Fiscais. O esquema consistia na cobrança semanal de propina de camelôs no Brás, no centro. O pagamento era imposto aos ambulantes para que eles pudessem trabalhar. Ao todo, 11 pessoas foram presas.   Veja também:  Justiça manda soltar suspeito de chefiar nova máfia dos fiscais   Segundo o STJ, a defesa pretendia que fosse estendida ao ex-assessor a liminar em habeas-corpus concedida pelo Tribunal de Justiça paulista ao advogado Leandro Giannasi Severino Ferreira e que beneficiou o ex-chefe da Unidade de Fiscalização da subprefeitura Felipe Eivazian.   O ministro Og Fernandes, relator do caso no STJ, negou a liminar porque ela foi apresentada contra decisão liminar em habeas de outro tribunal. Nessa situação, a análise é feita apenas se a decisão for considerada absurda ou totalmente carente de fundamentação, o que, para o relator, não ocorreu. Com isso, o ex-assessor permanecerá no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros. Ele é acusado de concussão, extorsão e formação quadrilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.