STJ mantém pedido de prisão contra Mizael, acusado pela morte de Mércia

Para juiz, não há nada que justifique a ilegalidade no pedido de prisão do advogado, que continua foragido

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

01 de abril de 2011 | 19h51

SÃO PAULO - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou nesta sexta-feira, 1º, o pedido para revogar a prisão preventiva ao ex-policial e advogado Mizael Bispo de Souza, denunciado pelo homicídio da advogada Mércia Nakashima, sua ex-namorada. Ele continua foragido.

 

A defesa alegava falta de fundamentação no decreto da prisão preventiva e pedia a sua revogação. Para o relator, em um exame preliminar, não há nenhuma coação ilegal que possa justificar a concessão da liminar. Ele determinou o encaminhamento do processo ao Ministério Público Federal (MPF) para a elaboração de parecer.

 

O mérito do habeas corpus será julgado pela Sexta Turma do STJ.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Mércia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.