STF nega liberdade provisória para acusado de assassinar Eloá

Lindemberg responde por homicídio qualificado, tentativa de homícídio, sequestro e cárcere privado

Julia Baptista, da Central de Notícias,

22 de junho de 2010 | 23h16

SÃO PAULO- Lindemberg Alves Fernandes, denunciado pela morte da ex-namorada Eloá Pimentel, permanecerá preso preventivamente. Por maioria dos votos, os ministros da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negaram  nesta terça-feira, 22, pedido da defesa para a concessão de liberdade provisória.

 

Lindemberg responde pelo homicídio qualificado da adolescente Eloá Cristina Pimentel, que tinha 15 anos, por tentativa de homicídio de Nayara Silva e do sargento Atos Valeriano, e cinco vezes por sequestro e cárcere privado de menores de 18 anos. Lindemberg também é processado por quatro disparos de arma de fogo em lugar habitado.

 

Em outubro de 2008, Lindemberg manteve a ex-namorada - junto com a amiga dela Nayara Rodrigues da Silva e mais dois garotos - em cárcere privado por cinco dias num apartamento de um conjunto habitacional de Santo André, no ABC paulista. A situação terminou com Eloá sendo baleada duas vezes e morta.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.