STF autoriza extradição de falso rabino para Israel

Ele está preso no Brasil acusado de agredir oito crianças durante supostos rituais religiosos

Elvis Pereira, da Central de Notícias,

21 Maio 2009 | 23h34

O falso rabino Elior Noam Hen, acusado de torturar crianças em supostos rituais, será extraditado para Israel. A autorização foi dada na noite desta quinta-feira, 21, pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade. O israelense está preso no Brasil desde 3 de junho do ano passado. Policiais federais o encontraram numa rua do Bom Retiro, no centro de São Paulo, pondo fim à busca iniciada pela Interpol em 2006.

 

Em Israel, Hen terá de responder por violência a menor ou pessoa incapaz, abuso a menor ou pessoa incapaz e conspiração para cometer crime. Ele não poderá, entretanto, cumprir pena por dois crimes - incitamento à violência a menor ou pessoa incapaz e por incitamento a abuso de menor ou pessoa incapaz. Ambos estão tipificados na lei israelense, mas não na brasileira.

 

O falso rabino é acusado de agredir oito crianças sob a justificativa de que pretendia expulsar os demônios dos corpos dela. Para tanto, queimava as mãos delas e as espancava. Segundo o Supremo, um dos menores submetidos à tortura perdeu permanentemente a consciência e se encontra em estado vegetativo.

Mais conteúdo sobre:
falso rabinotorturacriancas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.