SP vai ter dez 'biciclotecas', as bibliotecas sobre bikes

Empresas prometem apoiar e investir em projeto pioneiro desenvolvido na cidade por ex-morador de rua

O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2011 | 03h02

A capital deverá ter dez "biciclotecas" - as bibliotecas sobre bikes que circulam pela cidade emprestando livros a moradores de rua.

Criação de Robson Mendonça, ex-morador de rua, o projeto ganhou novo impulso depois do apoio de empresas interessadas em ajudar Mendonça com a doação de livros ou bicicletas.

No mês passado, a primeira bicicloteca de Mendonça - que tem cerca de 200 livros, um gravador de DVD e uma agenda pessoal - foi roubada no centro de São Paulo, o que levou uma editora a fazer a primeira doação para aquisição de um novo equipamento.

Outra empresa prometeu comprar outras nove bicicletas para levar o projeto a mais regiões da capital - atualmente, ele fica restrito ao centro.

Segundo o presidente do Instituto Mobilidade Verde, Lincoln Paiva, a doação ainda está sendo negociada com a empresa e, por isso, o instituto não divulgará a origem do patrocínio. "A intenção é colocar outras três biciclotecas no centro, uma no Campo Limpo e outra no M'Boi Mirim (ambos na zona sul)", diz Paiva, para quem o desafio será encontrar alguém que se disponha "a circular pela cidade emprestando livros".

Mendonça será o responsável pelas bikes do centro. "Mesmo os que não sabem ler ainda conseguem encontrar uma história nos livros que emprestamos", diz ele, animado.

Ontem, o senador Eduardo Suplicy (PT) foi à bicicloteca doar exemplares de seu livro sobre renda mínima. / L.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.