SP terá nebulosidade mas só chove no sábado

Em 2007, julho teve o maior registro de chuva em SP em 3 décadas; neste ano, não choveu nenhum milímetro

Solange Spigliatti, estadao.com.br

31 de julho de 2008 | 08h08

A cidade de São Paulo termina com o mês de julho sem chuvas significativas e com índices de umidade relativa do ar alarmantes, chegando a níveis de deserto. Segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), este mês de julho foi o menos chuvoso dos últimos 14 anos.   Veja também Este julho é o mais seco da história Centro-Oeste sofre mais com falta de chuva Com 9%, Ribeirão tem estado de emergência Perguntas e respostas   Nesta quinta-feira, 31, a previsão não é muito diferente dos últimos dias. O tempo seco e o predomínio de sol continuam, com um pequeno aumento de nebulosidade. A chuva deve chegar no próximo sábado, 02, segundo previsão do CGE. Uma frente fria finalmente consegue romper o bloqueio atmosférico e chegar ao Estado. Esperam-se chuvas mais significativas e declínio das temperaturas entre o final da tarde de sábado e o decorrer do domingo.   A massa de ar seco continua influenciando o tempo no Estado e a quinta-feira terá temperaturas em rápida elevação, com uma tarde quente para a época do ano, com máximas chegando aos 27ºC e índices críticos de umidade relativa do ar ficando entre os 20% e 25%. Durante a tarde desta quarta-feira, 30, o índice de umidade relativa do ar novamente atingiu níveis críticos, sendo que o menor índice registrado foi na região do aeroporto do Campo de Marte, com 25%.

Tudo o que sabemos sobre:
clima secoprevisão do tempo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.