SP terá dia quente com baixa umidade relativa do ar

Com o tempo seco, as pessoas sentem dificuldade para respirar e sensação de mal-estar

Solange Spigliatti e Gustavo Miranda, estadao.com.br

23 de julho de 2008 | 09h50

A cidade de São Paulo terá novamente um dia com céu claro e predomínio de sol ao longo da quarta-feira, 23. A máxima deve aumentar em relação à terça-feira (dia mais quente do inverno). Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), as temperaturas devem chegar entre os 28º e 29ºC no período da tarde. Com o calor, a umidade relativa do ar deve ficar entre os 25% e 30%.   De acordo com o CGE, a frente fria que avança sobre o País deve chegar à capital na madrugada de sexta-feira, 25, deixando o céu nublado na parte da manhã. Apesar das nuvens, a previsão é a de que ocorram apenas chuviscos e garoa em pontos isolados da cidade.   Dicas contra secura   Não há uma doença causada especificamente pela baixa umidade do ar. Geralmente, as pessoas sentem dificuldade para respirar e sensação de mal-estar. Segundo o médico Rafael Stelmach, presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, o principal a fazer é beber água. "O que o indivíduo pode fazer é se hidratar, usar soro fisiológico no nariz, para hidratar as vias aéreas, ou até fazer inalação de vapor de água. Isso reduziria a sensação de mal-estar", explica (ouça a entrevista na íntegra).   Segundo ele, o ar fica mais pesado porque com a falta de chuva existe uma concentração maior de poluentes. "As coisas vêm associadas: fica essa nuvem cinza de poluição e, aí sim, você pode ter alguns efeitos mais perigosos para a respiração, principalmente em quem tem doenças pulmonares, como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica."   O médico também aconselha a evitar perder água em momentos de muito calor. "Quando a gente faz exercício, perde água e pode até desidratar. Com a umidade em baixa e sem uma garrafinha de água ao lado, é prejudicial ao organismo fazer exercício. Se você beber bastante água enquanto corre no parque ou está na academia, vai se exercitar corretamente e não terá problema nenhum", diz o médico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.