SP tem trânsito ruim e tendência é de piora até sexta-feira

Nos primeiros 15 dias do mês, trânsito ficou 16% acima da média; às 9h30, motorista enfrentava 98 km de trânsito

19 de dezembro de 2007 | 09h33

O motorista enfrentava trânsito ruim na capital paulista na tarde desta quarta-feira, 19. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), havia 159 km de congestionamento na cidade, às 15h50. A zona oeste era a região com o maior índice de lentidão, com 47 km.   A partir de quinta-feira, 20, o trânsito deve piorar mais, porque muitos recebem a segunda parcela do 13º salário. "Essas pessoas aproveitarão para ir às compras. E nossa orientação é de que usem o transporte público", afirma o gerente de Operações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Gilson Grilli.   Pela manhã, a Marginal do Tietê tinha o pior ponto de lentidão na cidade. O motorista enfrentava quase 12,5 km de trânsito ruim no sentido Ayrton Senna, da saída da Rodovia Castelo Branco até o Rio Tamanduateí. No sentido contrário, em direção à Castelo, a lentidão era de 4,2 km, da Ponte Aricanduva até o Viaduto Jânio Quadros.   Nos 15 primeiros dias do mês, os congestionamentos em São Paulo ficaram 16% acima da média do mesmo mês em 2006. Ainda que a situação melhore a partir do dia 24, com o fim do período de compras de Natal, o índice deve continuar acima do registrado no ano passado, seguindo uma tendência de piora no trânsito paulistano a cada ano, segundo Grilli.   Para a CET, o motivo da piora é o aumento da frota. A cada dia, mais de 700 veículos novos passam a circular nas ruas, sem que as vias acompanhem esse crescimento. De acordo com Grilli, no ano passado a média de congestionamento de dezembro - tradicionalmente o período mais complicado do ano, por causa das compras de Natal - foi de 79 quilômetros. Agora, nos primeiros 15 dias do mês a média já alcançou 93 quilômetros. "Desde 2003, há tendência de o trânsito ficar cada vez pior."   A partir da tarde de sexta-feira, 21, a CET dá início à Operação Estrada, para tentar minimizar os problemas do trânsito na saída do motorista da cidade. A estimativa é que aproximadamente 1,6 milhão de veículos vão deixar a capital no Natal. A CET recomenda que os motoristas evitem deixar a cidade entre as 14 e 22 horas de sexta e das 8 às 13 horas do sábado.   Queda   Grilli espera que a média de congestionamento só caia no dia 24. Até lá, a Rua 25 de Março, na região central, vai continuar bloqueada para a circulação de carros. A restrição vigora de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas, e aos sábados, das 10 às 13 horas, entre a Rua Carlos de Souza Nazareth e a Ladeira da Constituição. Foram criadas quatro linhas de ônibus temporárias que ligam as regiões do Bom Retiro, da 25 e do Brás, incluindo três circulares que saem da Avenida Olavo Fontoura (no Anhembi).   No Brás, o acesso ao Viaduto Maestro Alberto Marino junto da Rua Miller também poderá ser bloqueado quando não o local comportar o movimento de veículos e pedestres. A faixa de ônibus da Rua João Teodoro ficará desativada até dia 25, entre a Rua Maria Marcolina e Avenida do Estado. Nessa região, 11 linhas de ônibus terão itinerários alterados. Na região do Ceagesp, zona oeste, poderá haver bloqueios para facilitar o fluxo de caminhões.   "Minha alternativa seria incentivar o comércio fora do expediente e até de madrugada", diz o especialista em trânsito João Valente Filho. Ele ainda sugere um planejamento mais intensivo do tráfego no Brás e no Bom Retiro.   O engenheiro Franco Soneghet, de 60 anos, adotou sua própria estratégia para fugir das filas. "Escolho o meio da tarde, entre uma reunião e outra. Pelo menos acho vagas nos shoppings."   A documentarista Ariana Chediak, de 33, tem outra tática: foi ontem a dois shoppings, para comprar presentes do amigo-secreto, do namorado e do afilhado. "O jeito é tentar comprar tudo de uma vez", garante.   (Colaboraram Elisa Estronioli e Carina Flosi, do Jornal da Tarde.)     Texto ampliado e atualizado às 16h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.