SP tem maior indíce de lentidão após rodízio de caminhões

Capital resgistrou 227 km de congestionamento às 19 horas, mas por volta das 20 horas trânsito começava a cair

Elvis Pereira, estadao.com.br

14 de novembro de 2008 | 17h07

A Capital paulista registrou o maior indíce de congestionamento, após a implantação do rodízio que restringe a circulação de caminhões, às 19 horas desta sexta-feira, 14: 227 km. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego, pequenos acidentes e interdições, pancadas de chuva em pontos isolados, a véspera de feriado de Proclamação da República e o fato de ser uma sexta - quando são registrados as maiores lentidões na cidade - foram fatores que colaboraram para o que poderia ser chamado novo recorde no novo sistema. O recorde absoluto de trânsito ocorreu no dia 9 de maio, quando foi registrado 266 km de engarrafamentos   Veja também: Restrição a circulação de veículos no centro é ampliada Como o trânsito parou São Paulo e os números da frota As medidas que ajudariam a aliviar o trânsito na capital  Dossiê Estado: os números do trânsito em SP   Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua         No entanto, por volta das 20 horas os engarrafamentos na cidade começavam a diminuir e a companhia registrava 143 km de lentidão. Neste horário, a Marginal do Tietê acumulava 22,9 km de morosidade pelas pistas expressa e local, no sentido Ayrton Senna, começando na região da Rodovia Castelo Branco.   A Avenida dos Bandeirantes tinha mais 6,8 km de engarrafamento, no trecho entre o fim do Viaduto Aliomar Baleeiro e a Rua Funchal, no sentido marginal. Já no Corredor Norte-Sul, o congestionamento ia desde o Viaduto Indianópolis até o Pedro, com 5,6 km no sentido Santana.   Na Marginal do Pinheiros havia mais de 10 km no sentido Castelo. Na pista expressa havia 5,5 km de lentidão, entre as Ruas Américo Brasiliense e Tucumã. Na local, a lentidão seguia da Avenida Jornalista Roberto Marinho até a Ponte Eusébio Matoso, por 4,7 km.    Atualizado às 20h08

Tudo o que sabemos sobre:
trânsito em SPcongestionamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.