SP tem 5 mortos em confronto com a polícia e mais 4 homicídios

Guardas civis e PM foram atacados na noite de quarta-feira e sobreviveram

Ricardo Valota,

08 de novembro de 2012 | 07h47

SÃO PAULO - A Região Metropolitana de São Paulo registrou mais uma noite de violência, com nove pessoas mortas e duas feridas a tiros, além de três suspeitos de crimes presos. A última morte confirma pela Polícia Militar (PM) ocorreu em Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Também foram registrados dois ataques a agentes do Estado em um intervalo de cinco horas, entre as 19h30 de quarta-feira, 7, e o começo da madrugada desta quinta-feira, 8.

Cinco das mortes ocorridas na madrugada foram em supostos confrontos entre policiais e criminosos. Os quatro homicídios foram cometidos por pessoas não identificadas.

Na Rua Odete Domingues Marques, no Jardin Saint Moritz, em Taboão da Serra, policiais do 36º Batalhão foram atender uma ocorrência de tiros disparados na madruda de hoje. Ao chegarem no local encontraram um homem baleado e morto. 

Ataques.  Um ataque a uma equipe da Guarda Civil de Cotia, na Grande São Paulo, acabou com duas pessoas mortas e dois suspeitos presos na noite de quarta-feira, 7.

De acordo com a PM, quatro homens em um veiculo roubado abordaram uma viatura da guarda e dispararam contra o carro. Um policial foi ferido na axilia e passa bem.

Pouco depois, o carro que participou do crime foi localizado pela Guarda Municipal e, em confronto com os agentes, segundo a Polícia Civil, dois suspeitos foram baleados e morreram a caminho do Hospital Geral de Cotia. Outros dois se entregaram e foram presos.

 Uma hora e meia depois, o soldado Humberto Gonçalves foi baleado ao ser vítima de um ataque no Jardim Las Vegas, em Santo André, na Grande São Paulo.

À paisana, o policial militar saía da casa de um amigo quando alvo de um criminoso que o aguardava escondido. Após o ataque, o atirador fugiu com outra pessoa em uma moto.

Segundo PM, Gonçalves foi encaminhado a um hospital e passa bem.

Confrontos. No começo da madrugada desta quinta-feira, 8, um homem morreu após supostamente ser baleado pela PM após assaltar a loja de conveniência de um posto de gasolina nos Jardins, área nobre na zona sul de SP.

Depois de levar R$ 230, ele foi abordado por policiais e reagiu, de acordo com a polícia. O homem foi encaminhado ao hospital, mas morreu. O caso foi registrado no 78º Distrito Policial, dos Jardins, pelo delegado Rogério Gimenez.

Antes, no final da noite de quarta-feira, 7, um homem morreu e outro foi ferido e preso durante suposto confronto com policiais militares em Diadema, no Grande ABC.

Segundo a polícia, a dupla foi flagrada quando tentava roubar um veículo na esquina da Rua Rio Claro com a Avenida Conceição, na Vila Ida, e reagiu. 

Praticamente no mesmo horário, um homem morreu e outro foi preso após uma suposta troca de tiros com policiais militares em Itaquaquecetuba, região leste da Grande São Paulo.

A dupla, segundo a PM, estava numa moto roubada. Os policiais avistaram o veículo e realizaram a abordagem. Um dos ocupantes da moto teria atirado contra os policiais, que revidaram. Um suspeito foi atingido e morreu. O outro se entregou e, ileso, acabou preso. O caso foi registrado no Distrito Policial Central de Itaquaquecetuba.

Homicídios. Um homem, identificado como Vitor Saraceno dos Santos, foi morto, com um tiro no rosto, por volta das 21h de quarta-feira, 7, em frente a um bar, na Rua Doutor Fontes de Resende, na zona leste de São Paulo.

 

Segundo a polícia, a vítima tinha antecedentes criminais e o local do homicídio seria um ponto de venda de drogas. O caso foi registrado no 10º Distrito Policial, da Penha.

 

Outro assassinato foi registrado em Embu das Artes, na Grande São Paulo, por volta das 22 h. Em Itapevi, meia hora depois, aconteceu outra morte.

Em ambos os casos, segundo a polícia, moradores escutaram vários tiros e ligaram para a PM. Ao chegarem, os policiais encontraram os homens já mortos. Nenhum deles foi identificado.

Tudo o que sabemos sobre:
violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.