SP tem 143 semáforos quebrados e 18 árvores caídas após temporal

Capital registrou 27 pontos de alagamento, com 15 intransitáveis, até as 20h30; deve chover mais nos próximos dias

O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2014 | 02h02

A cidade de São Paulo registrou 143 semáforos apagados ou em amarelo intermitente às 21 horas de ontem, além de 18 árvores caídas, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Na Rua Caiubi, em Perdizes, zona oeste da capital, uma árvore caiu sobre um carro e afetou a circulação na via no fim da tarde. Outra ocupou duas faixas da Avenida Engenheiro Caetano Alvares, na altura da Rua Jardinésia, nos dois sentidos, e mais uma bloqueou a Avenida Brigadeiro Faria Lima.

Transtornos. O temporal, que durou pouco mais de uma hora, causou transtornos a quem precisava sair do trabalho. Na Rua do Curtume, na Lapa de Baixo, o webdesigner Rafael Polvo, de 26 anos, aguardava a chuva passar para conseguir ir para a Vila Maria, onde mora, zona norte. Ele estava entre as centenas de pessoas que não conseguiam ir embora e ficaram abrigadas em um posto de gasolina.

"Nem voltaram as aulas ainda e São Paulo já vive um caos desse tamanho, com uma chuvinha de uma hora", reclamou, indignado. Ele desistiu da espera e decidiu tomar cerveja com amigos do escritório.

A auxiliar de escritório Vanessa Reino, de 41 anos, esperava para pegar um ônibus na Avenida Marquês de São Vicente, para a casa, na Freguesia do Ó, também na zona norte. A previsão de entrar no coletivo era de uma hora, porque ninguém conseguia embarcar.

"Todo ano é a mesma coisa. Estava demorando para acontecer. Justamente na hora em que está todo mundo saindo do trabalho. Será que realmente não dá para resolver esse problema?", questionou.

Além da região da Lapa, os Viadutos Pacaembu, Pompeia e Antártica, todos na zona oeste, ficaram travados por causa dos alagamentos.

Vários passageiros de avião com destino a São Paulo sofreram com o remanejamento de voos. Por causa do mau tempo, 24 voos que pousariam no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, foram desviados para aeroportos em Campinas e São José dos Campos, no interior, e para as cidades do Rio, Belo Horizonte e Curitiba.

Foram registradas rajadas de vento de 62 km/h às 16h no Aeroporto Internacional de Cumbica. Já o Aeroporto de Congonhas, na zona sul, fechou para pousos e decolagens por cerca de meia hora, entre 16h56 e 17h24, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Todas as regiões da cidade foram colocadas em estado de atenção pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) às 16h15 e permaneceram assim por cerca de duas horas.

Até as 20h30, a capital registrava 27 pontos de alagamento, sendo 15 intransitáveis. A Rua Turiaçu, em Perdizes, voltou a ficar alagada. O trânsito ficou completamente travado na região. O Túnel Anhangabaú, que tradicionalmente apresenta problemas quando chove, foi fechado no sentido aeroporto, por causa de alagamentos.

Previsão. O CGE alerta que os próximos dias vão continuar com condições típicas de verão na cidade, ou seja, muito calor seguido de chuva forte à tarde. Hoje, dia de comemoração dos 460 anos da São Paulo, o sol aparecerá entre nuvens ao amanhecer e a sensação será de tempo abafado ao longo do dia.

A partir da tarde, as instabilidades vão aumentar na Grande São Paulo, com previsão de pancadas de chuva fortes até o início da noite. As temperaturas variam entre 21ºC e 32ºC.

Amanhã, o calor deve continuar. O dia vai começar com sol entre nuvens e termômetros em torno dos 22ºC. À tarde, ocorrem pancadas de chuva fortes de forma isolada sobre a Grande São Paulo, com potencial para a formação de alagamentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.