SP tem 1ª chacina do ano com 6 mortos

Entre as vítimas estão o homem que filmou policiais militares durante execução e um rapper que denunciava violência na periferia

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

06 Janeiro 2013 | 02h04

A primeira chacina do ano no Estado deixou seis mortos e três feridos na zona sul da capital. As vítimas estavam em um bar e foram mortas por homens que chegaram em três carros. Entre elas, de acordo com o SPTV, da Rede Globo, estava o homem que filmou uma execução de um vizinho por policiais militares da Força Tática, mostrada pelo programa Fantástico.

O crime aconteceu às 23h20 de anteontem, na Rua Reverendo Peixoto da Silva, no Campo Limpo. Testemunhas afirmaram à polícia que os carros chegaram com 14 homens encapuzados. Antes de atirar, os bandidos teriam gritado "polícia, polícia".

Cinco pessoas morreram na hora - duas delas foram achadas na frente do estabelecimento e três, atrás do balcão. Entre os mortos estava Laercio de Souza Grimas, de 33 anos, o Dj Lah, do grupo de rap Conexão do Morro, parceiro do rapper Mano Brown, do Racionais MC's.

Uma sexta vítima, o adolescente Bruno de Cassio Cassiano Souza, de 17 anos, morreu no Hospital do Campo Limpo.

Outras duas pessoas, uma com um tiro no tórax e outra baleada na perna, têm quadro estável. O último ferido foi encaminhado para o Hospital de M'Boi Mirim, mas seu estado de saúde não foi divulgado.

O SPTV informou que uma das vítimas era o homem que filmou com um celular a abordagem de PMs que terminou com a morte do servente Paulo Batista do Nascimento, de 25 anos, na mesma rua, em novembro. Após o programa Fantástico divulgar as imagens, cinco policiais que participaram da ação foram presos. Logo após o crime, o Estado esteve no local e entrevistou vizinhos que temiam retaliação à denúncia contra policiais militares da Força Tática.

Na manhã de ontem, o delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Maurício Blazeck, esteve no local para acompanhar as investigações. A perícia e policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também estavam no local.

Comoção. A morte de DJ Lah causou comoção na internet e entre rappers. O empresário do Conexão do Morro, Samuel Ferreira da Silva, de 48 anos, conhecido como DJ San Mix, informou que o grupo faz músicas denunciando a violência que mata jovens na periferia de São Paulo. "Nessa guerra entre polícia e traficantes, inocentes estão morrendo", afirma.

Segundo o empresário, DJ Lah tinha quatro filhos e fazia trabalho social no bairro, distribuindo brinquedos para crianças. Há 15 anos, foi um dos três fundadores do Conexão do Morro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.