SP registra 7 assassinatos no intervalo de 12 horas

Casos envolvem latrocínio, corpo encontrado em aterro sanitário e crimes sem motivação conhecida

Pedro da Rocha, do estadão.com.br,

07 Março 2012 | 06h47

SÃO PAULO - Pelo menos sete mortes violentas foram registradas em distritos policiais da cidade de São Paulo no intervalo de 12 horas, entre as 17 horas de terça-feira, 6, e as 5 horas desta quarta-feira, 7. Foram casos de assalto seguido de morte, corpo encontrado enterrado e crime com motivação desconhecida.

Por volta das 17 horas de terça-feira, Nilzo Antônio Moizes, de 51 anos, foi morto em um assalto no número 1200 da Estrada de Poá, em Guaianazes, na zona leste de São Paulo. Ele havia sacado R$ 4700 em um caixa eletrônico, por volta do meio-dia. Circulou então, com a mulher, em seu Fiat Pálio cinza. No fim da tarde, homens em uma moto falaram para Nilzo que o pneu do carro estava mucho. Ele entrou em uma oficina mecânica e os motoqueiros anunciaram o assalto. Nilzo recebeu três tiros e faleceu. O caso foi registrado no 44º Distrito Policial (DP).

 

Também por volta de 17 horas, o corpo de um homem ainda não identificado foi achado enterrado em um aterro sanitário no número 50 da Estrada do Retiro, no Jardim Pantanal, na zona leste da capital. O caso foi registrado no 98º DP.

 

Em uma chácara na Alameda Aristóteles Cláudio Sbrighi, em Perus, na zona norte, João Sales de Souza Filho, de 43 anos, foi encontrado morto, com ferimentos na cabeça, na noite de terça-feira. Ele morava na chácara, junto com Ronaldo Abrantes da Silva, de 31 anos, que está desaparecido. O registro do assassinato foi feito no 33º DP.

 

Por volta das 20 horas de terça-feira, Maria Cleusa da Silva Moutinho, de 60 anos, e sua filha, Camila da Silva Moutinho, de 23, foram encontradas mortas dentro de casa, no número 94 da Rua Francisco Alves de Azevedo, em Cidade Ademar, na zona sul de São Paulo. Um ferro de passar roupa teria sido usado como arma do crime, segundo a polícia. O caso foi encaminhado ao 83º DP.

 

Também na zona sul, na Avenida Guarapiranga, altura do número 422, na Vila Socorro, Marcos Antônio de Assis, de 27 anos, morreu, aproximadamente as 23 horas de terça-feira, a tiros, após se recusar a entregar sua moto para assaltantes. Os policiais do 11º DP investigarão o crime.

 

Nesta quarta-feira, 7, por volta das 5 horas, um policial militar abastecia sua moto em um posto na Estrada do Pirajuçara, em Valo Velho, na zona sul, quando foi abordado por um ladrão, que exigiu o veículo. Houve troca de tiros e ambos acabaram socorridos, feridos, ao Hospital Campo Limpo. O assaltante morreu no hospital. O caso foi registrado no 47º DP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.