Thaise Constancio/Estadão
Thaise Constancio/Estadão

SP: protesto pede melhorias no transporte público no Campo Limpo

Oitenta pessoas participam do ato, que segue pacífico e sem a presença de mascarados

Laura Maia, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2013 | 20h29

Atualizada às 20h50

SÃO PAULO - Cerca de 80 pessoas fazem um ato no Campo Limpo, zona sul da Capital, por melhorias no transporte público na região. O protesto, apoiado pelo Movimento Passe Livre (MPL), saiu por volta das 18h15 do Largo do Taboão, em frente ao Supermercado Extra. O ato segue pacífico e é acompanhado por cerca de cem policiais militares. 

Os manifestantes chegaram às 20h30 no Terminal Campo Limpo e tentaram negociar com a Polícia Militar a entrada no local. Não houve consenso e eles queimaram uma catraca simbolizando a Semana de Luta pelo Transporte Público, organizada pelo MPL. Os manifestantes começaram a se dispersar às 20h50.

Segundo o membro do MPL, Matheus Preis, os manifestantes reivindicam a volta das linhas que ligam a região ao centro da Capital. "Desde que o Terminal Campo Limpo foi construído, em 2009, as pessoas passam muitas dificuldades no transporte", afirmou.

A autônoma Francisca da Silva, de 63 anos, acompanhou o ato e diz que está cansada da má qualidade do transporte público na região. "Moro no Capão Redondo e tenho que pegar 3 ônibus pra ir ao centro", disse.

Durante todo o protesto, os manifestantes cantaram músicas contra o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). / COLABOROU THAISE CONSTANCIO

Tudo o que sabemos sobre:
protestomplcampo limpo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.