SP promove operação especial da Lei Antifumo em Campos do Jordão

Neste mês, 20 agentes se reunirão para percorrer estabelecimentos da cidade por 12 horas seguidas

estadão.com.br

01 de julho de 2010 | 11h59

SÃO PAULO - A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo vai promover durante todo o mês de julho, em Campos do Jordão, a "Operação Inverno" para fiscalizar a Lei Antifumo. As blitze percorrerão locais de grande concentração de público para garantir que a fumaça do cigarro não entre nos ambientes fechados de uso coletivo.

 

Além das inspeções diárias, haverá operações especiais nos dias 3, 9, 17 e 31. Nessas datas, cerca de 20 agentes se reunirão a partir do meio-dia, na Praça do Capivari, para percorrer estabelecimentos durante 12 horas seguidas, em uma mobilização da Vigilância Sanitária Estadual em parceria com a prefeitura local.

 

"Campos do Jordão tem um aumento significativo de pessoas durante o inverno com a chegada de turistas. O cumprimento da lei registra níveis bastante elevados, mas é preciso redobrar a atenção para que a restrição ao fumo nos ambientes fechados continue sendo respeitada", afirma Maria Cristina Megid, diretora da Vigilância Sanitária Estadual.

 

Desde o ano passado, quando a Lei Antifumo entrou em vigor, foram realizadas mais de 351.753 ações de fiscalização por parte da Vigilância Sanitária e do Procon, e aplicadas 776 multas em todo o Estado. O resultado demonstra uma adesão de 99,7% dos estabelecimentos vistoriados.

 

A Lei Antifumo proíbe fumar em ambientes fechados de uso coletivo, como bares, restaurantes e casas noturnas. A nova legislação alinhou São Paulo com a tendência internacional de combate aos males causados pelo tabagismo, principalmente em relação ao fumo passivo.

 

A lei também serviu de exemplo para vários Estados e cidades do país, que vêm aprovando legislações semelhantes. Quem quiser informar sobre o descumprimento da lei pode fazer a denúncia por meio do telefone 0800 771 3541 ou pelo site www.leiantifumo.sp.gov.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.