SP na Gaveta: Obras de terminal de cargas já deveriam ter começado

Projeto no cruzamento das Rodovias Fernão Dias e Dutra tinha como objetivo descongestionar as vias da cidade

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli,

29 de maio de 2012 | 10h49

Para tentar segurar os caminhões fora da cidade, a Prefeitura apresentou, no início de 2011, um projeto para a construção de um novo terminal de cargas no cruzamento das Rodovias Fernão Dias e Dutra. O entreposto custaria R$ 867,2 milhões e as obras já deveriam ter começado neste ano - até agora, porém, o projeto não tem licença ambiental. O objetivo era possibilitar que carretas sejam descarregadas ali, deixando de congestionar as vias da cidade.

1. Qual a importância do novo terminal de cargas?

Com a implementação de horários de restrição para grandes cargas na capital, dezenas de galpões começaram a ser erguidos por transportadoras perto de rodovias. Essa propagação de galpões tem rendido filas de veículos pesados em ruas de bairros próximos da Dutra e da Fernão Dias - os mais atingidos são Vila Maria e Jaçanã. O atual Terminal Fernão Dias, localizado na Vila Medeiros, zona norte, está com a capacidade esgotada há pelo menos uma década.

2. Quando deveriam ter começado as obras?

A previsão era para parte do novo pátio ser entregue até o fim de 2012. Mas agora a previsão mais otimista é de que a construtora ao menos seja contratada até o fim do ano. [ ]Com o novo terminal, a Prefeitura pretende criar condições para adotar restrições mais severas aos caminhões dentro da capital.

3. Quem faria a administração do espaço?

O terminal será custeado pela iniciativa privada que, em troca, poderá explorar o entreposto por 35 anos. A expectativa é de que o vencedor da concessão pague à Prefeitura cerca de R$ 18 milhões nesse período. O pátio será construído às margens da Fernão Dias, onde estão hoje dezenas de galpões e pátios irregulares erguidos por transportadoras.

4. Quais serviços seriam oferecidos aos caminhoneiros?

Segundo o projeto apresentado em 2011, haverá um painel eletrônico mostrando os caminhões autorizados a entrar, além de agendamento de horários por telefone e internet para descarregamento de cargas. No local também haveria o aluguel de caminhões pequenos (os Veículos Urbanos de Carga), oficinas de caminhões, hotel para os motoristas e restaurantes.

5. O que diz a Prefeitura?

A Prefeitura informou que o projeto se encontra na Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente para obtenção da licença ambiental. "O cronograma prevê consulta e audiências públicas em junho, publicação do edital em julho e entrega e abertura das propostas em setembro", informou.

Mais conteúdo sobre:
obrasterminal de cargasrodovias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.