Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

SP libera R$ 5 milhões para construir ciclovia e passarela para a Baixada Santista pela Serra do Mar

Concessionária Ecovias, responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, vai conduzir projetos funcionais e executivos

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2018 | 15h31

O governador de São Paulo Márcio França lançou nesta quarta-feira, 30, um pacote de medidas para ciclistas do Estado, entre elas a liberação de R$ 5 milhões para a construção de uma ciclovia e uma passarela para integrar uma rota cicloturística pelo Parque da Serra do Mar, no sul do Estado. 

Além de sancionar um projeto de lei que oficializa o trajeto cicloturístico Márcia Prado - com ligação da capital paulista à Baixada Santista -, o governo anunciou o início de estudos de viabilidade para a construção de uma ciclovia e uma passarela para a rota, a realização anual de um passeio ciclístico na Rodovia Anchieta todo mês de dezembro e a criação de um comitê para debater ações para veículos não-motorizados no Estado.

A concessionária Ecovias, responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, vai conduzir projetos funcionais e executivos. A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) vai realizar os estudos sobre a viabilidade para a construção da via.

"Queremos que o caminho seja feito com segurança. Quanto mais pessoas fizerem o trajeto de bicicleta, melhor. Agora, com a legislação, a intervenção da Ecovias e as alterações no roteiro, a passagem poderá ser feita todos os dias", disse França. 

Regulamentada pela Prefeitura de São Paulo desde 2010, a rota cicloturística Márcia Prado sai de Grajaú, na zona sul da capital, até Santos, passando pelos municípios de São Bernardo do Campo e Cubatão. 

No roteiro, o ciclista passa pela Ilha do Bororé por duas balsas e segue pela Estrada de Manutenção da Rodovia dos Imigrantes, conhecida também como Estrada de Serviço da Dersa. Ali, o viajante cruza o Parque Estadual da Serra do Mar. O percurso é inspirado em trajeto da viagem que a ciclista Márcia Prado fez quando era viva.

+++ Em semana de greve, uso de bicicletas compartilhadas cresce 34% em cinco capitais

Márcia morreu em 2009,  atropelada por um ônibus enquanto pedalava na Avenida Paulista. A sugestão do roteiro foi feita pelo Instituto CicloBR, que, no ano da morte da ciclista, realizou um evento teste no trajeto do Grajaú até a cidade de Santos com mais de mil ciclistas. A sanção da lei nesta quarta atende a pedidos de entidades cicloativistas para que torne seguro para o ciclista o caminho até o litoral paulista.

Segundo o CicloBR, 2.789 ciclistas percorreram o trajeto em 2011. Já em 2012, o número de pessoas que fez a rota teria saltado para 9,5 mil. Autor do projeto de lei, o deputado estadual Davi Zaia (PPS) justifica que a a proposta é "oficializar a rota, de forma a contribuir para que os encontros aconteçam, sendo disciplinada pelo Poder Público a maneira mais adequada e segura para a realização do percurso".

+++ 'Vamos desativar algumas ciclovias que só incomodam a população', diz Covas

Na ocasião, França também autoriza que a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) dê início aos estudos sobre a viabilidade da construção de ciclovia e passarela para a Rota Cicloturística Márcia Prado, que corta o Parque Estadual da Serra do Mar.

No evento, foi anunciada a realização de um passeio ciclístico anual pela Via Anchieta (SP-150), que vai ser realizado sempre no primeiro domingo de dezembro. Em 2018, o primeiro roteiro está marcado para 2 de dezembro  entre 6h e o meio-dia, com início na altura do km 9,7 em São Paulo, e término no km 65,6, em Santos. 

Para definir uma política estadual para veículos não-motorizados, foi criado ainda o Ciclo Comitê Paulista, que irá debater ações para incentivar o uso do modal no Estado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.