SP ganha outro sistema de aluguel de bicicleta

Além do Itaú, a Bradesco Seguros que opera as Ciclofaixas de Lazer também vai administrar novas estações para empréstimo na cidade

Rodrigo Burgarelli - O Estado de S.Paulo,

27 de novembro de 2012 | 02h04

São Paulo vai ganhar outro sistema de aluguel público de bicicletas. Até fevereiro, 20 estações administradas pela Bradesco Seguros deverão estar funcionando. Cada uma terá capacidade para dez bicicletas, totalizando 200 novas bikes disponíveis para empréstimo de quem se cadastrar.

A autorização para a assinatura do convênio entre a Prefeitura e a Bradesco Seguros, que já opera todas as ciclofaixas de lazer abertas nos domingos e feriados na cidade, foi publicada no Diário Oficial da Cidade. Assim que o contrato for assinado, o que deve ocorrer nos próximos dias, a seguradora terá 60 dias para instalar as estações e pôr o sistema para funcionar.

Esse será o segundo modelo do tipo a ter estações na cidade. O primeiro, iniciado há cerca de seis meses, é operado pelo banco Itaú e foi batizado de Bike Sampa. Já são mais de 500 bicicletas disponíveis por meio desse sistema, que deverá chegar a 3 mil bikes até 2014 espalhadas por 300 estações. Os dois modelos não deverão ser integrados, o que significa que será necessário fazer outro cadastro para usar o do Bradesco e suas bicicletas só poderão ser devolvidas nas estações dessa empresa.

Funcionamento diário. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os locais exatos das estações da Bradesco Seguros ainda não estão definidos. Mas deverão ficar perto das ciclofaixas de lazer, que são operadas pela empresa desde seu início, em 2009. Elas funcionam das 7h às 16h nos domingos e feriados.

O sistema de empréstimo de bicicletas, porém, deverá funcionar todos os dias, segundo a CET, e não apenas de acordo com o calendário das ciclofaixas. O objetivo do projeto é facilitar a integração do ciclista às outras modalidades de transporte público e valorizar a mobilidade urbana e a bicicleta.

Até agora, porém, não foi divulgado o valor que será cobrado pelo empréstimo das bicicletas ou se ele será gratuito - o Itaú não cobra pelos primeiros 30 minutos, mas cada meia hora além disso custa R$ 5. A Bradesco Seguros afirmou que não divulgaria ontem informações sobre o convênio e não respondeu aos questionamentos.

Modelo próprio. O prazo inicial de duração do convênio entre a Secretaria Municipal de Transportes e a Bradesco Seguros é de dois anos. Funcionários da pasta e de outras áreas da Prefeitura defendem que, em 2015, quando também vencerá o convênio com o Itaú, a cidade faça sua própria licitação para um modelo unificado de empréstimo de bicicletas, assim como funciona hoje com as linhas de ônibus.

A ideia é que, até lá, a cidade se acostume com a oferta do serviço e a rede de ciclovias e ciclofaixas esteja grande o suficiente para que esse meio de transporte seja mais usado pelos paulistanos nos deslocamentos diários. Hoje, a estimativa é de que sejam feitas cerca de 350 mil viagens de bicicleta por dia na capital.

Mais conteúdo sobre:
bicicletabikeSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.