Divulgação
Divulgação

SP ganha Guia de Cozinha Verde. Mas tem até carne

Rede paulistana de restaurantes saudáveis terá cerca de 200 opções, que incluem de points vegetarianos a locais de cardápio orgânico

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

22 Março 2011 | 00h00

Que tal encontrar em um mesmo lugar uma lista sempre atualizada de todos os restaurantes orgânicos, naturais, vegetarianos e veganos de São Paulo? A ideia é boa, e vai sair do papel ainda neste semestre. A iniciativa é do Clube da Cozinha Verde, uma rede de relacionamento de restaurantes saudáveis que está sendo criada pelos empresários do setor, com o apoio da Confederação Nacional do Turismo.

O Guia da Cozinha Verde de São Paulo vai reunir cerca de 200 restaurantes que se encaixam nas categorias citadas acima - e explicadas ao lado. Segundo o idealizador do Clube, o empresário e consultor Sérgio Chamma, a ideia é criar uma lista de referências para um mercado que cresce rapidamente na capital. "O setor de comida saudável ainda não é totalmente organizado, e queremos ajudar nisso."

A expectativa é de que o guia esteja disponível nas casas do ramo e nos escritórios de turismo de São Paulo. Além do nome dos restaurantes e de um mapa mostrando sua localização, a publicação também vai destacar os empórios e armazéns que vendem alimentos orgânicos e naturais, como os da Avenida Mercúrio e da Rua Paula Souza, no centro. "Será uma referência para fomentar o setor de alimentação saudável na cidade", explica Chamma.

Vegano. O restaurante Vegethus será um dos listados no novo guia. Com unidades na Haddock Lobo, na região da Avenida Paulista, e em Santo André, a rede existe há sete anos e é comandada pelo nutricionista George Guimarães. Sua especialidade é a comida vegana: o Vegethus serve só alimentos de origem vegetal e é tão rígido nos padrões que se recusa a comprar até de fornecedores que patrocinem ou tenham ligações com eventos considerados nocivos aos animais.

"Aqui vendemos só três marcas de cerveja. Delas, só uma é nacional. Mas pelo menos temos certeza que nenhuma delas patrocina rodeios ou eventos do tipo", explica Guimarães. Mesmo com regras rígidas, o proprietário diz que a maior parte dos clientes não é de veganos e vegetarianos. "A maioria que frequenta é de pessoas que trabalham ou moram perto e querem variar o cardápio durante a semana. Normalmente, é quem procura uma opção mais leve, mais saudável", diz o nutricionista.

Sabor. No orgânico Le Manjue Bistro, na Vila Nova Conceição, os frequentadores também não são fanáticos por comida saudável. "Vem gente de todo tipo", afirma um dos sócios do restaurante Bruno Fattori. Segundo ele, o grande atrativo da casa é o bom e velho sabor. "As pessoas vêm pela gastronomia, pelo sabor, pelo prazer de comer. O produto orgânico é mais saboroso e tem uma textura melhor. Como tem menos água, os ingredientes são bem mais consistentes", defende.

O Le Manjue não é vegetariano; serve-se carne, mas tudo é produzido sem produtos químicos e cerca de 90% dos ingredientes são orgânicos. "Por isso, somos o único restaurante de São Paulo certificado pelo IBD (Instituto Biodinâmico, referência nacional de certificação verde)", afirma Fattori. Para garantir a certificação, o restaurante tem de enviar relatórios mensais das compras e é inspecionado a cada quatro meses pelos técnicos do IBD. "Vale a pena, pois queremos dar o máximo de credibilidade possível aos nossos clientes", explica o sócio.

Ele diz que os pratos mais pedidos são os jambalayas - uma espécie de risoto com ingredientes variados. "Temos um que é feito com arroz, camarão, banana, curry, alho-poró e queijo. Outro leva bacalhau, brócolis e azeitona. É uma delícia", garante.

GLOSSÁRIO

Orgânica

Comida feita sem produtos químicos. Assim, não tem agrotóxicos, hormônios, corantes e afins.

Natural

É a comida não processada, feita com métodos naturais.

Vegetariana

Alimentação sem carne, vermelha ou branca.

Vegana

A comida vegana (ou vegan, em inglês) exclui tudo que tenha origem animal, como ovos e leite.

RECEITA DE CANELONE DE TOFUPIRY E LEGUMES

Ingredientes

500 gramas de massa pronta, de preferência sem ovos, de canelone

1 xícara de alho-poró

2 colheres de sopa de azeite ou de margarina vegetal

2 cenouras raladas

2 xícaras de espinafre

500 gramas de tofupiry

Modo de fazer

Para fazer o tofupiry, coloque tofu, azeite, sal e temperos a gosto no liquidificador. Bata tudo até formar uma pasta. Reserve.Na sequência, rale a cenoura e corte bem o espinafre. Refogue no azeite ou na margarina vegetal, juntamente com o alho-poró.Recheie o canelone com os legumes e com o tofupiry. Adicione o molho de sua preferência sobre a massa e leve para assar.

Tempo de preparo

25 a 30 minutos. Rende para quatro a seis pessoas.

A receita é do restaurante Vegethus

ONDE PROVAR

MOINHO DE PEDRA. WWW.MOINHODEPEDRARESTAURANTE.COM.BR. 5181-0581.

PREMA YOGA. WWW.PREMAYOGA.COM.BR. 3283-0884.

MAHA MANTRA. WWW.MAHAMANTRA.COM.BR. 3032-2560.

GOPALA HARI. GOPALAHARI.COM.BR. 3283-1292.

GOA. WWW.GAIAVEGETARIANO.COM.BR. 3031-0680.

YAM. WWW.YAMGASTRONOMIA.COM.BR. 3031-3543.

CACHOEIRA TROPICAL. WWW.CACHOEIRATROPICAL.COM.BR. 3167-5211.

BANANA VERDE. WWW.BANANAVERDE.COM.BR. 3814-4828.

VEGETHUS. WWW.VEGETHUS.COM.BR. 2306-2116.

LE MANJUE BISTRÔ. WWW.LEMAJUEBISTRO.COM.BR. 3034-0631.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.