JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

SP faz festa de boas-vindas para o ano 4709

Ano-novo chinês será celebrado na quarta-feira, mas hoje já tem comemoração na Liberdade

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2011 | 00h00

Mais um réveillon acontecerá nesta semana na cidade. Desta vez, paulistanos descendentes (ou apenas simpatizantes) vão comemorar o ano-novo chinês. A festa começa neste fim de semana na Liberdade, com comidas típicas e apresentações de grupos musicais, e se estende até a "virada", às 14 horas de quarta-feira - ou meia-noite do dia 3 na China -, no vão livre do Masp.

O que o Brasil chama de 2011 para os chineses é o 4709, ano do coelho, um dos 12 animais-símbolo do horóscopo chinês. Naturalmente, enquanto duram as festas, o bichinho também se torna uma espécie de mascote da comemoração.

Segundo a tradição milenar, o coelho é símbolo da diplomacia e geralmente o ano a ele associado é marcado por calmaria, leveza, estabilidade e prosperidade financeira. É algo necessário para que se estabeleça um certo equilíbrio após um ano regido pela exasperação e inquietude do tigre, que foi o guardião de 2010.

Como o ano-novo chinês se baseia no calendário lunar - e não no gregoriano, como nos países ocidentais -, a "virada" deles não coincide com a do Brasil e tem data variável. O ano que começa no próximo dia 3 de fevereiro (para o Brasil, ainda o dia 2) só terminará em 22 de janeiro de 2012.

"O ano-novo é a festa mais importante do ano para os chineses", afirma Oscar Wei, um dos responsáveis pela área cultural do Centro de Cultura Chinesa em São Paulo. "É como se o novo ano fosse também o começo de uma nova vida", completa.

Um dos marcos da festa do Masp será a tradicional entrega do hong pao, o envelope vermelho. Em ocasiões especiais, como o ano-novo ou casamentos, entrega-se um envelope com uma boa quantia em dinheiro para uma pessoa querida, como forma de "abençoar" e desejar boa sorte. A cor vermelha representa sorte e prosperidade.

Homenagem. Às 19 horas de quarta, será realizada uma cerimônia de homenagem na Assembleia Legislativa de São Paulo com a presença de autoridades e representantes da comunidade chinesa. Lá, além das apresentações de danças típicas, a bateria da escola de samba Gaviões da Fiel fará uma participação especial. Serão promovidos sorteios de bolsas de estudos e passagens para a China. Instituições da comunidade também vão divulgar a quantidade de donativos arrecadada para vítimas das enchentes. Durante esta semana, alguns restaurantes, como o Ping Pong, no Itaim-Bibi, também terão cardápio especial.

Concentração em SP. O ano-novo chinês é comemorado em São Paulo desde 2006. Segundo a Associação Chinesa do Brasil, 200 mil chineses e descendentes moram no País. Mais da metade (130 mil) está em São Paulo e se distribui principalmente pelos bairros da Liberdade, Vila Mariana, Cambuci, Aclimação e Vila Olímpia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.