SP exporta sistema que descobriu fraude do ISS para 16 Estados

Metodologia que cruza dados de renda e patrimônio de servidores vai ser usado por Ministérios Públicos de Contas da maior parte do País

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

03 de junho de 2014 | 15h39

SÃO PAULO - Procuradores dos Ministérios Públicos de Contas de 16 Estados assinaram na tarde desta terça-feira, 3, um termo de cooperação com o MPC de São Paulo e com a Controladoria-Geral do Município para usar o sistema de fiscalização de servidores que permitiu a descoberta da Máfia do ISS, grupo suspeito de desviar até R$ 500 milhões da Prefeitura.

O sistema permite uma comparação rápida entre a renda do servidor e os bens que ele possui. É uma forma tida como eficaz para encontrar corruptos. 

O interesse dos Ministérios Públicos de Contas surgiu há cerca de um mês, quando o MPC Paulista assinou acordo com a Prefeitura para usar o sistema. Os procuradores paulistas divulgaram a metodologia para os colegas dos demais Estados e auxiliaram nas negociações. 

A proposta é que os procuradores usem a ferramenta para exigir e analisar bens de juízes, promotores, deputados, vereadores e conselheiros de tribunais de contas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.