SP define área para erguer ‘novo Anhembi’ 12 vezes maior

Terreno na zona norte foi decretado de utilidade pública para abrigar centro de convenções

Camilla Rigi, de O Estado de S.Paulo,

26 de janeiro de 2008 | 00h30

Mais de 12 vezes o tamanho do Parque do Anhembi: essa é a dimensão da área que o prefeito Gilberto Kassab reservou para construir um megapólo de eventos na divisa dos distritos de Pirituba e Jaraguá, zona norte. O terreno tem 4,9 milhões de metros quadrados e já foi decretado de utilidade pública para desapropriação. O objetivo é criar um centro de convenções e uma arena multiuso para 40 mil pessoas. "Essa é a única área compatível para o tamanho que a cidade vai ter em 20 anos. Estamos pensando a São Paulo do futuro", diz Kassab. Área de desapropriação para o centro de convenções tem 4,9 milhões de m2 Em fevereiro, um grupo da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) vai se reunir para elaborar o projeto do pólo, mas ainda não há previsão de investimentos nem de quando essa obra deve começar. O dinheiro deve vir de uma Parceria Público-Privada (PPP). "Investidor tem, o que faltava era o espaço", diz o presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Caio Luiz de Carvalho. Segundo ele, além de aumentar o espaço para exposições, a criação de uma arena multiuso seria importante para a Copa do Mundo de 2014. "E resolveria o problema dos shows no Pacaembu." O terreno foi sugerido pela Secretaria de Habitação. Segundo o secretário Orlando de Almeida, cerca de 1 milhão de m² não serão utilizados, porque na área existe um local de preservação de mata. "É muito oportuno ter um espaço maior para eventos e com possibilidade de ampliação. Hoje temos pelos menos dez feiras que já tomam todo o espaço do Anhembi. É provável que elas cresçam", diz o diretor da União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe), Armando Campos Mello. Por ano, as feiras injetam R$ 2,6 bilhões na economia paulistana. O Anhembi tem 400 mil m² de área - 67 mil m² para exposições. Na nova área, o espaço para feiras deve ser pelo menos três vezes maior, cerca de 200 mil m², igual ao da Feria de Madrid, na Espanha. "É um mercado muito importante, só de Imposto sobre Serviços desses eventos a Prefeitura arrecadou cerca de R$ 114 milhões no ano passado", diz Carvalho. Para o diretor da Ubrafe, a criação do centro de convenções deve proporcionar melhorias urbanas na região.  Antes mesmo da construção do pólo de eventos, a Prefeitura quer ampliar o Parque do Anhembi, criando um pavilhão de feiras interligado ao atual e dobrando o espaço para exposições. O projeto prevê também um centro de convenções e dois andares de estacionamento cobertos.

Tudo o que sabemos sobre:
Anhembikassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.