SP cidade do rock: do berço na Vila Pompeia aos shows de Paul McCartney

Há mais de uma década a cidade de São Paulo não via dias como esses: um fim de semana inteiro - e a segunda-feira também - dedicados ao rock. E com atrações que agradam tanto aos "oldies" quanto aos "indies".

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2010 | 00h00

A maratona roqueira começou ontem, às 16 horas, com o Festival Planeta Terra, no Playcenter, zona oeste. Os palcos receberam desde o rock alternativo da década de 1990 dos Smashing Pumpkins aos moderninhos do Of Montreal, passando pela extravagante dupla australiana Empire of the Sun e os franceses do Phoenix.

Ontem também foi a vez de o cantor e guitarrista Lou Reed, ex-Velvet Underground, apresentar-se no Sesc Pinheiros. E do Creedence Clearwater Revisited lembrar clássicos no Via Funchal, na zona sul.

Mas a presença mais importante - esperada em São Paulo há 17 anos - é a do ex-beatle Paul McCartney, que hoje e amanhã vai repetir no Estádio do Morumbi, também zona sul, o show Up and Coming Tour, que já apresentou em Porto Alegre e Buenos Aires.

E não é só: ao longo da semana, São Paulo ainda vai receber shows dos americanos Scissor Sisters (amanhã), da banda alemã Tokio Hotel (terça) e do guitarrista Jeff Beck (quinta-feira). Tudo no Via Funchal.

Berço. Para mostrar onde surgiu essa veia roqueira da cidade, o Estado conversou com músicos moradores da Vila Pompeia, bairro da zona oeste que foi o berço do rock nacional e não por acaso carrega o simpático apelido de "Liverpool brasileira", em referência à cidade inglesa onde nasceram os Beatles.

Foi nas ruas tranquilas do bairro que os paulistanos ouviram, nos anos 1960, os acordes das primeiras guitarras elétricas vindos das casas de bandas como Os Mutantes, Tutti Frutti, Made in Brazil, Os Incríveis e Rádio Táxi. Com o passar das décadas, o bairro se reinventou e foi perdendo a cara de vila operária para se tornar cosmopolita. Mas a vocação musical que lhe deu fama permanece intocada, bem como a preferência dos roqueiros na hora de escolher um bairro para morar.

GLOSSÁRIO

Para não se perder

Indies

Termo que se aplica tanto ao rock alternativo, menos conhecido ou acessível que o pop rock ou o rock tradicional, quanto aos que gostam desse tipo de música.

Oldies

Adeptos do rock dos anos 1950 aos anos 1970 - época de Beatles, Velvet Underground e Creedence Clearwater Revival (depois Revisited).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.