SP atinge marca de 150 km de faixas exclusivas na 2ª

Promessa de campanha, patamar será alcançado com inauguração de dispositivos nas zonas leste, norte e sul

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

06 de setembro de 2013 | 09h21

SÃO PAULO - A cidade de São Paulo deve alcançar, na semana que vem, a marca de 150 km de faixas exclusivas de ônibus à direita, uma meta de campanha do prefeito Fernando Haddad (PT), informou nesta sexta-feira, 6, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Com a inauguração desse mecanismo em mais sete avenidas das zonas leste, norte e sul, mais 9,9 quilômetros de faixas só para os coletivos começam a funcionar na segunda-feira, 9.

Desse lote, a Avenida Ragueb Chohfi, na zona leste, terá, proporcionalmente, a maior quantidade de quilômetros de faixas exclusivas. Serão 3,5 km, entre a Avenida Aricanduva e a Rua Bento Guelfi. Segundo a CET, nessa via só poderão trafegar ônibus na faixa da direito dos dois sentidos de segunda a sexta-feira das 6h às 9h e das 17h às 20h.

Outra avenida da região, a Amador Bueno da Veiga, na Penha, ganhará faixas exclusivas totalizando 1,3 km. No sentido centro, elas vigorarão das 6h às 9h. Ela vai da Avenida São Miguel até a Rua Enéas de Barros. No sentido bairro, o mecanismo valerá das 17h às 20h, entre a Praça Dona Micaela Vieira e a Rua Francisco Coimbra. Outro trecho nesse sentido icará entre as Ruas Embiruçu e Evans.

Na Avenida Nordestina, serão, no total, 1,2 km de faixas exclusivas. Elas ficarão em trechos de 600 metros cada um. O primeiro, entre a Avenida Marechal Tito e a Praça do Forró. O outro, da Rua Coleirinha à Manuel da Silva Leão. Os dois vão funcionar entre 17h e 20h, de segunda a sexta-feira.

A zona sul de São Paulo também receberá novas faixas a partir de segunda-feira. Na Rua Pedro de Toledo, na Vila Mariana, serão 500 metros do dispositivo entre a Rua dos Otonis e a Avenida Professor Ascendino Reis. Essa faixa vai operar, de segunda a sexta-feira, entre 6h e 22h.

No Ipiranga, a Avenida Dom Pedro 1.º terá faixa exclusiva de 900 metros de extensão, entre as Ruas da Independência e Mariano Procopio. No sentido centro, ela vai ser ativada das 6h às 9h e, no contrário, entre 17h e 20h, somente em dias úteis.

Ali perto, a Rua Clímaco Barbosa, no Cambuci, terá 1,1 km de faixa exclusiva de ônibus à direita entre a Rua Independência e o Largo do Cambuci. A faixa estará ativa das 6h às 9h, de segunda a sexta-feira.

Motoristas na Avenida Imirim, na zona norte da capital, passarão a ter que respeitar a faixa de ônibus à direita em 1,4 km da via entre a Rua Quirinópolis ea Praça Lions Clube. No sentido centro, o mecanismo funcionará entre 6h e 9h. E das 17h às 20h, no rumo oposto, ao bairro. Em ambos os casos, a proibição irá de segunda a sexta-feira.

Meta. Agora, a Prefeitura planeja abrir mais 70 km de faixas, totalizando 220 km desse mecanismo por toda a cidade até o fim de 2013. O objetivo inicial era que os 150 km originais fossem abertos até o fim da gestão Haddad, em 2016.

Especialistas em transportes sustentam que as faixas exclusivas são uma opção paliativa para resolver o problema do deslocamento dos ônibus em São Paulo. Para eles, a velocidade e a pontualidade dos coletivos só irá melhorar de fato com a abertura de corredores de ônibus à esquerda e totalmente segregados dos automóveis.

Assim, o deslocamento dos ônibus se tornará mais eficiente, diminuindo a superlotação extrema nos horários de pico. A gestão do petista promete construir 150 km desses corredores de ônibus até 2016. Atualmente, existem 130 km de corredores nas vias paulistanas.

Multa. Quem invade a faixa de ônibus comete infração leve, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e corre o risco de pagar multa de R$ 53,20 e perder três pontos na carteira de habilitação. A CET não informou, contudo, se a fiscalização nessas faixas começará na própria segunda-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
CETfaixas exclusivasFernando Haddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.