Divulgação
Divulgação

Souvenirs da Vasp à venda

Leilão com roupões e broches da companhia, falida em 2008, tem lances iniciais de R$ 156

, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2011 | 00h00

Os aficionados por aviação e colecionadores em geral agora vão poder ter em casa itens "vintage" da antiga Vasp, que faliu em 2008. Bonés, quadros, gravuras, broches e quepes estão sendo leiloados hoje, via internet e presencialmente, às 14h, na Casa de Portugal (Avenida Liberdade, 602), centro de São Paulo. O site para dar lances online é www.freitasleiloeiro.com.br.

São vinte lotes, cada um com seis a sete objetos que faziam parte dos souvenirs vendidos ou entregues em promoções da companhia. Há desde roupões - que serviam para passageiros da primeira classe - até broches de comandantes e miniaturas de aeronaves com a logomarca da Vasp.

O lance inicial para cada lote vai de R$ 156 a R$ 223 - pela internet, porém, alguns usuários já começaram a oferecer até R$ 273 por um conjunto com um roupão, dois broches, um boné, um chapéu, dois quadros e uma maquete.

Massa falida. Os arremates pela internet e os presenciais serão feitos de forma simultânea. A verba arrecadada vai ser destinada aos credores da companhia. Os souvenirs do leilão estavam guardados no galpão administrativo da Vasp, ao lado do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, e devem ser retirados hoje.

O leilão é uma iniciativa do Espaço Livre, programa lançado no começo do ano pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A ideia é dar fim a todos os bens materiais da massa falida Vasp para liberar espaço físico nos aeroportos.

"Esses objetos estavam lá parados, aguardando uma providência. Poderíamos até esperar por um eventual leilão do prédio, mas preferimos leiloá-los logo e preservar a memória da Vasp", afirma o juiz Marlos Melek, do CNJ, responsável pela condução do Espaço Livre.

Segundo Melek, os itens da Vasp leiloados hoje têm um valor mais simbólico do que material. "São peças para colecionadores com preço bastante acessível. Elas têm um valor agregado por toda a história da Vasp no Brasil, e podem ter um valor histórico no futuro."

Sucatas. Além dos conjuntos de peças leiloados hoje, o Espaço Livre está autorizando o desmonte de 182 aviões de diversas empresas que estão parados em diversos aeroportos brasileiros. Quatro aeronaves-sucata da Vasp que estavam em Congonhas já foram reduzidas a pedaços de alumínio. Outras cinco, no mesmo aeroporto, aguardam o laudo de deterioração da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para serem desmontadas e trituradas.

O CNJ recebeu sinal verde do governo federal para expandir o programa para todos os aeroportos. "Antes faríamos um por um, mas conseguimos um apoio da Presidência (da República) e da Anac para tocar o programa de maneira simultânea em todo o Brasil", explica Melek.

Até março do ano que vem, Guarulhos, Campinas, Salvador, Manaus e Brasília terão aviões-sucata removidos dos pátios. Somente em Guarulhos estão oito deles.

Atualmente, dez aeronaves no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio, e mais 11 no Aeroporto de Porto Alegre (cinco de grande porte) aguardam o laudo da Anac para serem desmontadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.