Juliana Diógenes
Juliana Diógenes

'Sou uma pessoa leal. O que o governador pedir, eu faço', reafirma Doria sobre candidatura

Em ação do programa Cidade Limpa na zona leste da capital neste sábado, o prefeito diz que é "leal" e "fiel" ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2017 | 09h41

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a afirmar neste sábado, 8, que deixará a administração municipal para ser candidato ao governo do Estado nas eleições de 2018 se o governador Geraldo Alckmin (PSDB) solicitar. 

Em ação do programa Cidade Limpa na zona leste da capital, o prefeito diz que é "leal" e "fiel" a Alckmin. Conforme o Estado informou, após 100 dias no comando da Prefeitura, Doria admitiu pela primeira vez a possibilidade de disputar o governo estadual.

"Fui eleito para ser prefeito. Estou prefeitando, quero prefeitar e a minha obrigação é ser um bom prefeito da cidade de São Paulo. Sigo mantendo o meu ritmo, o meu trabalho, a minha dedicação. Se o governador Geraldo Alckmin solicitasse... eu sou fiel a ele. E lealdade é uma das características que eu aprecio muito. E eu sou uma pessoa leal. O que o governador pedir, eu faço", diz o prefeito. 

Às 7 horas deste sábado, Doria esteve na Avenida Celso Garcia, na região do Tatuapé, para recolher sacos de lixo. Vestido de coletor, uniforme na cor laranja, o prefeito subiu no caminhão e percorreu quatro quadras até chegar a uma praça.

No local, fez a recuperação do jardim, plantando mudas. Esta foi a 15ª ação do programa Cidade Linda. A ação no Tatuapé termina na próxima sexta-feira, 14.

“São 28 áreas de atuação, desde operação tapa buraco, passando pela recuperação de jardins, poda de árvores, recuperação de lâmpadas queimadas, recuperação de calçadas, sinalização aérea, sinalização de piso”, afirma o prefeito.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.