Sorria! Você perdeu na Mega Sena

Já fui funcionário de lotérica, sei muito bem o que foram os últimos dias para esta pobre gente - ô, raça! O leitor provavelmente faz ideia do trabalho que nessas ocasiões se multiplica pelos milhões e milhões acumulados na Mega Sena, mas só quem já esteve do outro lado do guichê sabe o que é ouvir as fantasias que todo apostador faz para si no papel de protagonista da sorte grande.

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2010 | 00h00

É quase como num confessionário! Tem gente que, quando chega sua vez na fila, desanda a contar o que faria com o patrão, com a mulher, com os parentes, com os amigos e com a torcida do Flamengo, se virasse milionário. Raramente a narrativa é de conto de fadas. "Eu mandava todo mundo pra..." Rola muito isso! Alguns, mais ligados à família, pagariam uma grana adiantado para que não lhe enchessem mais a paciência.

Todo mundo tem projetos de sair de casa, do bairro, da cidade ou do País. Parar de trabalhar é outra obsessão popular! Pobre acha que não fazer nada é o máximo! Exceção para os que sairiam da pindaíba direto para a mais completa luxúria.

Quem trabalha ou já trabalhou em lotérica sabe que muito dinheiro, em geral, piora o ser humano. Foi até bom pra você não ter acertado os números do sorteio de ontem. Pense nisso!

Política externa

Quando, afinal, o presidente Lula vai oferecer asilo a Carla Bruni?

O Irã já cogita apedrejá-la! E o banana do marido dela não faz nada para

proteger sua primeira-dama na França.

Parece que bebe!

Quem foi o maluco que tentou roubar na mão grande o Rolex do Milton Neves no trânsito dos Jardins? Por muito menos, o jornalista esportivo da Band já botou até o Datena pra correr! Tem assaltante que parece não ter amor à vida, né não?

Mal comparando

De um torcedor são-paulino, desdenhando a euforia dos 130 mil corintianos que foram na noite terça-feira ao "Show do Centenário", no Vale do Anhangabaú: "A Parada Gay põe muito mais gente animada nas ruas!" Pior que põe mesmo!

Viradão

"A hora da virada", como os marqueteiros de José Serra definem a nova fase da campanha tucana, não tem nada a ver com as madrugadas insones do candidato. E não se fala mais nisso, OK?

Vocação turística

A terra voltou a tremer madrugada dessas em São Caetano, no agreste de Pernambuco! A prefeitura da cidade já estuda, inclusive, a possibilidade de explorar o fenômeno turisticamente, como fazem com a neve no inverno as autoridades de São Joaquim (SC) e Gramado (RS). Com a vantagem de poder tirar proveito de pequenos abalos sísmicos durante o ano todo. Só em 2010 já foram mais de cem.

Graças a Deus

Nem tudo está perdido! A se aplaudir na atual campanha política, o fato de que os candidatos ainda não apelaram para o recurso da vuvuzela nas manifestações de rua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.