Solução tem de extrapolar esfera ambiental

Os níveis crescentes nas medições de poluição devem ser encarados como sinal de alerta. A situação já foi pior, sobretudo na década de 1980, mas depois os índices estagnaram e começaram a cair. Em São Paulo, o recrudescimento tem como causa principal o aumento da frota de veículos e um padrão de mobilidade que privilegia o transporte individual motorizado. Por isso, a solução deve extrapolar a esfera ambiental. Discutir qualidade do ar é discutir transporte motorizado. Nas grandes cidades do mundo, fala-se em tirar espaço dos carros para melhorar a qualidade de vida. E a poluição está incluída nisso. A principal solução é quase óbvia: investimento em transporte coletivo e no não motorizado.

Análise: André Luís Ferreira, O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2011 | 00h00

Mecanismos de combate à poluição devem ser criados também dentro das políticas de uso e ocupação do solo. Ações que contribuam para um conhecimento mais acurado do nexo causal entre qualidade do ar e fontes de poluição, como inventários das fontes de poluição, são necessárias para definir estratégias. O controle pontual das fontes de poluentes, como a inspeção veicular, é importante, mas insuficiente. Uma solução duradoura passa por políticas públicas integradas.

DIRETOR DO INSTITUTO DE ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.