Solução de mentira

CLIENTE FICA SEM SINAL DA NET

O Estado de S.Paulo

13 Abril 2012 | 03h03

Liguei para a NET reclamando que a minha TV estava sem sinal. A atendente pediu para eu aguardar 30 minutos com o televisor desligado, pois a central enviaria uma carga ao decodificador. Após várias ligações sem solução e com espera de mais de 30 minutos para ser atendido, foi agendada uma visita técnica. O funcionário, no entanto, não parecia preparado para realizar o serviço, pois ficou horas tentando mexer no aparelho, sem achar uma solução. Para a minha surpresa, na visita, o técnico solicitou a senha do meu computador para fazer um teste. Não concordei em fornecê-la e o funcionário informou então que não seria possível testar a internet e foi embora. Ao chegar em casa à noite só um dos pontos das duas TVs funcionava e a internet não, pois estava desconectada da rede. Infelizmente, estou na mão de empresas como essa, sendo obrigado a aturar a incompetência da NET!

MARCOS MATHIAS DOS SANTOS / SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato com o cliente e o caso foi solucionado. A empresa permanece à disposição.

O leitor desmente: O problema não foi solucionado. Já foram realizadas quatro visitas técnicas, sem que houvesse resultado satisfatório. No dia 9/4 foi agendada mais uma visita, agora com o supervisor, mas ele ligou desmarcando. Continuo aguardando uma solução, mas está difícil. Isso porque a NET me informou que está preocupada em resolver o meu caso, imagine se não estivesse! A própria atendente responsável pelas reclamações enviadas pelos veículos de comunicação disse que o atendimento da empresa é ruim.

EMBRATEL

Cinco meses sem serviço

Há cerca de 8 meses comprei um telefone da Embratel. Após os 3 primeiros meses, ao tentar fazer ligações, aparecia uma mensagem informando que eu não estava no meu endereço de instalação e, com isso, eu não conseguia completar a chamada. Liguei inúmeras vezes na Embratel e uma das explicações era de que o problema estava no meu aparelho. Comprei outro, mas o problema continuou. Ou seja, estou há 5 meses pagando por um serviço que não funciona. A Embratel não respeita o consumidor!

APARECIDA BASTOS PEREIRA

/ SÃO PAULO

A Claro Fixo informa que agendou uma visita técnica, conforme data acordada com a cliente.

A leitora informa: No dia 10/4 o técnico veio e constatou que não tinha sinal. Solicitei à Embratel o ressarcimento do aparelho que comprei, das contas pagas e, por fim, o cancelamento do serviço.

LIMPEZA EM AVENIDA

Abandono da Prefeitura

Peço que a Prefeitura faça a manutenção da Av. Escola Politécnica, no Butantã. A avenida está abandonada desde a Rodovia Raposo Tavares até a Av. Corifeu de Azevedo Marques. O mato dominou o canteiro central, as áreas laterais e as calçadas. Há locais onde o matagal passa dos 2 metros de altura, chegando a invadir a pista. Além disso, ele serve de abrigo para ratos e insetos. Já reclamei várias vezes na Prefeitura, mas nada é feito.

APPARICIO DE MELLO NETO

/ SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras esclarece que entre os dia 19 e 24/3 houve no local um mutirão de manutenção, limpeza, corte de mato e varrição.

O leitor relata: O problema persiste. Estiveram no local por 2 ou 3 dias, cortaram o matagal de algumas áreas, mas não recolheram o material. Ele permanece jogado ali, junto com o entulho acumulado. A Prefeitura demonstra sua total incompetência nos serviços básicos de limpeza da cidade.

IPTU

Mudança de uso de imóvel

No dia 7/7/2011 solicitei à Prefeitura que um imóvel meu passasse de comercial para residencial, pois meu filho vai morar ali. Como o pedido foi ignorado, o IPTU deste ano veio no valor comercial, de R$ 2.570,15. Paguei para evitar problemas, mas solicito à Prefeitura a visita de um técnico, para verificar o real uso do imóvel, e o ressarcimento da diferença do IPTU.

MARIA ISABEL BRANDAO TIRELLI

/ SÃO PAULO

A Secretaria de Finanças informa que esse processo foi indeferido, conforme despacho publicado

no Diário Oficial da cidade, em 8/11/2011, nos seguintes termos: "Imóvel vago, sem destinação

específica quanto ao uso". Da

decisão, caberia recurso direcionado ao Conselho Municipal de

Tributos, órgão julgador de 2ª

Instância, no prazo de 30 dias.

Todavia, não foi localizado nenhum recurso para essa decisão

administrativa.

A leitora explica: O problema está sem solução, pois o imóvel, na verdade, estava em reforma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.