Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Solidariedade entre tomates

"Caro vizinho, estou sendo atacado por insetos que estão devorando minhas folhas", disse a planta de tomate. E continuou: "Se prepare pois logo os insetos vão te atacar". O tomateiro vizinho recebeu a mensagem e tomou providências. Transformou a mensagem em um inseticida.

Fernando Reinach, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2014 | 02h03

Apesar de jardineiros apaixonados conversarem com suas plantas, cientistas nunca foram capazes de demonstrar que as plantas entendem o que falam os humanos. Agora, parte da linguagem dos tomateiros foi decifrada por uma grupo de cientistas japoneses.

Potes com tomateiros foram colocados em dois recipientes ligados entre si por um tubo. O ar é injetado no primeiro recipiente, passa para o segundo recipiente pelo tubo, e finalmente, é liberado. Usando esse aparato, os cientistas colocaram larvas de inseto nas folhas da planta localizada no primeiro recipiente. Durante duas horas, as larvas devoravam as folhas e a planta no segundo recipiente ficou embebida no ar que havia passado pelas folhas que estavam sendo devoradas no primeiro. Em um segundo, tudo foi feito exatamente da mesma maneira, mas as larvas não foram colocadas na planta do primeiro recipiente.

Terminado o experimento, os dois grupos de plantas foram comparados. Os cientistas colocaram larvas de inseto nas folhas de ambos os grupos e observaram que as plantas que haviam recebido o ar de plantas atacadas haviam se tornado imunes ao ataque das larvas. Já as plantas que não haviam recebido o ar das atacadas foram devidamente devoradas. A conclusão é que plantas que recebem o ar de plantas atacadas se tornam imunes ao ataque.

Para saber o que estava protegendo as plantas resistentes, os cientistas compararam as molécula presentes nas folhas das plantas protegidas com as moléculas presentes nas plantas suscetíveis. O que eles descobriram é que havia uma única molécula a mais nas plantas protegidas, chamada de HexVic. Para testar se essa era a substância que estava inibindo a ação das larvas, uma pequena quantidade de HexVic foi adicionada à dieta de larvas mantidas em cativeiro. Dito e feito, as lavras que ingeriam HexVic morriam mais rapidamente e não cresciam tão bem. A conclusão é que o HexVic é a molécula responsável pela proteção das plantas.

Esses dados sugeriam que algo no ar, liberado pelas plantas atacadas, estava estimulando as plantas vizinhas a produzir HexVic. Mas qual a natureza desse sinal que estava ativando o mecanismo de defesa dos tomateiros? Os cientistas coletaram as moléculas presentes no ar que passava no tubo que ligava as plantas atacadas às saudáveis.

Analisando as moléculas coletadas, eles descobriram uma molécula muito semelhante à HexVic. Daí veio a ideia: será que as plantas atacadas estariam liberando essa molécula e as plantas vizinhas estariam captando a molécula e a transformando em HexVic? Os cientistas sintetizaram a molécula similar à HexVic, colocando nela átomos marcados. Quando as moléculas marcadas foram borrifadas em uma planta saudável, e o HexVic coletado, os cientistas descobriram que o HexVic estava marcado, demonstrando que a planta receptora transformava a molécula recebida pelo ar em HexVic.

Esses experimentos demonstram que, quando um tomateiro é atacado por larvas de insetos, ele libera no ar uma molécula precursora de HexVic. Essa molécula é captada pelas plantas vizinhas e transformada em HexVic, que se acumula na planta que recebeu o sinal. Quando os insetos vão tentar atacar a planta que contém HexVic, são parcialmente liquidados. Em outras palavras, um tomateiro atacado libera um sinal químico que é captado por seus vizinhos. Os vizinhos transformam esse sinal em agente capaz de matar larvas. Desse modo, a planta que recebeu a mensagem fica protegida de um futuro ataque das larvas.

Agora que você sabe que os tomateiros conversam e se preocupam com seus vizinhos de horta, você acredita que isso os torna mais "humanos", dignos de respeito? Você vai pensar duas vezes antes de devorar uma salada de tomates?

É BIÓLOGO

MAIS INFORMAÇÕES: INTAKE AND TRANSFORMATION TO A GLYCOSIDE OF (Z)-3-HEXOL FROM INFESTED NEIGHBORS REVELS A MODE OF PLANT ODOR RECEPTION AND DEFENCE. PROC. NAT. ACAD. SCI. USA VOL. 111 PAG. 7144 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.