Soldado do Exército é libertado de sequestro relâmpago em Osasco

Vítima levou socos, tapas e joelhadas dos criminosos; testemunha notou a ação e chamou a polícia

Bruno Lupion, do estadão.com.br,

11 Agosto 2010 | 07h06

 

SÃO PAULO - Um soldado do Exército foi libertado na madrugada desta quarta-feira, 11, do porta-malas do próprio carro durante sequestro relâmpago em Osasco, região metropolitana de São Paulo. Ele levou socos, tapas e joelhadas dos criminosos e estava com um capuz na cabeça quando policiais militares, avisados por uma testemunha, abordaram o veículo. Um homem e um adolescente foram presos.

 

A vítima foi rendida por três homens - um deles armado - enquanto estacionava seu Gol em uma garagem em Osasco, por volta das 23 horas de terça-feira, 10. Os criminosos pretendiam fazer saques em caixas eletrônicos e roubar o equipamento de som do veículo, mas endureceram ao descobrir a identidade militar da vítima.

 

"Quando eles souberam que eu era militar, começaram a me agredir e fazer ameaças de morte, exigiam minha arma - que eu não portava - e disseram que iam me esfaquear e botar fogo no carro comigo dentro", relatou o soldado.

 

Uma testemunha viu a ação e ligou para o 190 informando as características do veículo, localizado pelos policiais em uma rua do Jardim D'Abril, também em Osasco, por volta da 1h30. "Fizemos a abordagem, os criminosos se renderam e ouvimos os gritos da vítima no porta-malas", afirmou o sargento Maurício Batista.

 

Marcelo Barroso da Silva, 28 anos, foi preso, e um adolescente, de 17, foi apreendido. Ambos foram encaminhados ao 5º DP de Osasco, onde o crime foi registrado. Um terceiro comparsa fugiu antes da abordagem com roupas e o equipamento de som, avaliado em R$ 3 mil. "Perdi só bens materiais, graças a Deus estou vivo", afirmou o soldado.

Mais conteúdo sobre:
sequestro relâmpago crime Osasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.