Soldado da PM é executado em frente a supermercado na zona sul de SP

Dois criminosos fugiram em uma moto após policial balear o comparsa deles

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

22 de junho de 2012 | 01h58

Atualizado às 4h45

 

SÃO PAULO - Ao contrário do que a Polícia Militar havia informado inicialmente, uma suposta tentativa de assalto que terminou com a morte de um policial militar em frente a um supermercado na região do Capão Redondo, na zona sul da capital paulista, na noite de quinta-feira, 21, na verdade, segundo o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), foi uma execução.

 

Eram 20 horas quando três criminosos de fato abordaram o policial e não foram abordados por ele. No tiroteio, um deles morreu e os outros dois fugiram. Armado, o trio se aproximou do policial na altura do nº 191 da Rua Henrique San Mindlin, no Jardim Comercial, em frente ao estabelecimento, e chegou ao chamá-lo pelo nome para ter certeza de que era mesmo o alvo procurado.

 

O soldado Paulo César Lopes Carvalho, lotado no 37º Batalhão, foi baleado na cabeça, mas no confronto conseguiu atingir um dos assaltantes, que morreu quando era atendido no pronto-socorro do Campo Limpo. Já o soldado, mesmo socorrido na unidade do M' Boi Mirim, não resistiu ao ferimento e também faleceu.

 

Os outros dois bandidos fugiram em uma moto. A arma do soldado não apareceu até o momento segundo o DHPP, que irá bloquear legalmente o uso dela pois poderia estar nas mãos dos criminosos que deixaram o local. Carvalho tinha 15 anos de corporação e era motorista do subcomandante do 37º Batalhão. O caso também foi comunicado ao plantão do 47º Distrito Policial, do Capão Redondo, e será investigado pelo DHPP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.