Soldado da Corregedoria da PM é morto a tiros em Guarulhos (SP)

Agente foi morto quando chegava em casa; testemunhas disseram à polícia terem visto três suspeitos em um carro

Ricardo Valota, O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2012 | 07h38

SÃO PAULO - O soldado Edgard Lavado, de 43 anos, que atuava na Corregedoria da Polícia Militar, foi morto com um tiro no pescoço quando chegava em casa, por volta das 21 h de terça-feira, 13, em Guarulhos, região leste da Grande São Paulo.

À paisana e em uma moto, o policial foi surpreendido por homens armados perto de sua residência, localizada na Rua Cararu, no Jardim Arapongas. Segundo a polícia, testemunhas disseram que os atiradores - pelo menos três - estavam em um Ford Fiesta prata, cuja placa não foi anotada.

Ferido por um tiro de revólver calibre 38, o soldado ainda foi levado por vizinhos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jardim Alvorada, onde morreu.

O policial era casado e tinha quatro filhos. Nenhum suspeito foi detido. O caso foi registrado no 4º Distrito Policial de Guarulhos.

Suposto confronto. Em São Bernardo do Campo, um homem morreu em um suposto confronto com a polícia por volta das 2h desta quarta-feira, 14. Segundo a PM, ele ocupava um carro roubado, foi perseguido e, na Rua Tibiriçá, atirou contra agentes da Força Tática. Atingido, ele morreu no pronto-socorro central de Santo André. O caso será investigado no Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Mais conteúdo sobre:
soldadocorregedoriaGuarulhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.