Sogra de turista assassinada é presa

Delma Freire é suspeita de oferecer R$ 20 mil para ex-presidiário assumir culpa pela morte de alemã, morta há um mês, no Recife

Angela Lacerda, O Estadao de S.Paulo

17 Março 2010 | 00h00

RECIFE

A sogra da turista alemã naturalizada italiana assassinada há um mês em São Lourenço da Mata, em Pernambuco, foi presa na tarde de ontem no Recife. Delma Freire de Medeiros é suspeita de envolvimento na morte de Jennifer Kloker, de 22 anos.

Anteontem, um ex-presidiário disse, em depoimento à polícia, que Delma ofereceu a ele R$ 20 mil e um passaporte para assumir participação no assassinato. O juiz de São Lourenço da Mata, Djaci Salustiano, determinou a prisão temporária (por 30 dias) da sogra da vítima, acatando pedido da polícia para evitar obstrução das investigações.

O viúvo e o sogro de Jennifer ? o pernambucano naturalizado italiano Pablo Tonelli, de 22 anos, e o italiano Ferdinando Tonelli, de 45 ? estão presos desde o dia 23, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), como principais suspeitos. Delma seria levada ontem para a Colônia Penal Feminina.

A polícia trabalha na linha de que o crime teria sido motivado por um seguro de vida feito em nome de Jennifer, cujo beneficiário seria Ferdinando. Documentos que comprovariam a existência desse seguro foram requisitados à polícia internacional.

O ex-presidiário, de 26 anos, se apresentou à polícia na noite de anteontem. Ele afirmou ter sido alvo de suborno para reforçar a versão dos Tonellis de que a moça teria sido sequestrada e morta depois de um assalto à família no bairro do Curado. O crime ocorreu na noite da terça-feira de carnaval, 16 de fevereiro.

Defesa. Segundo os Tonellis, a família estava em um Gol alugado e foi abordada por dois motoqueiros armados. Um deles entrou no carro e os obrigou a seguir o comparsa até um local deserto, onde foram roubados. Jennifer teria se descontrolado e, por isso, sido levada pelos bandidos. O corpo da turista, que passava férias no Brasil, foi encontrado na BR-408, alvejado por quatro tiros.

O ex-presidiário chegou a dar entrevista à TV Globo, no escritório do advogado da família Célio Avelino (onde Delma foi presa ontem), como se fosse um dos motoqueiros. Depois, em coletiva à imprensa, disse ter sido orientado por Delma e seu advogado sobre como proceder e não cair em contradição. Ele afirmou ter conhecido Delma em 2003, quando ela o convidou para levar cocaína para a Europa.

Delma nega a história: "Estou totalmente limpa e inocente." Avelino supôs que o ex-presidiário tem "algum distúrbio". O advogado deve pedir habeas corpus em favor de Delma. As tentativas de liberar Pablo e Ferdinando foram negadas pela Justiça.

O filho de 3 anos de Jennifer e Pablo, que estava com a avó, poderá ficar com tia, Roberta Freire, que mora na Itália.

Segundo a polícia, Ferdinando, que tem um relacionamento amoroso com Delma, adotou Pablo, na Itália, há cinco anos. Nessa mesma época, Jennifer teria se naturalizado italiana. Esse também é o tempo do relacionamento de Pablo e Jennifer, que seria conturbado: em junho do ano passado, ela prestou queixa à polícia, na Itália, por agressão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.