Sociedade deve seguir fiscalizando

A decisão da Mesa Diretora da Câmara de São Paulo de congelar o aumento do salário dos vereadores deve ser encarada como um repensar e não como uma desistência. A medida anunciada ontem pela presidência da Casa precisa ser vista com cautela, pois, a qualquer momento, pode haver uma "virada de mesa".

Marco Antonio Teixeira, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2011 | 00h00

O calor da opinião pública tende a passar rápido. Portanto, as instituições da sociedade civil que monitoram o trabalho do Legislativo, como o Voto Consciente e o Movimento Nossa São Paulo, e as pessoas que mantém blogs do tipo "adote um vereador" devem fiscalizar de perto o depósito desse dinheiro. Cabe lembrar que ainda não há ação sobre a polêmica do reajuste e, dessa forma, esse depósito que os vereadores prometeram efetuar em uma conta bancária não terá o acompanhamento do Judiciário.

À parte isso, ficou claro que esse recuo dos vereadores foi motivado pela pressão da opinião pública. O chamado "lobby eletrônico", feito por meio do rádio, dos blogs e das redes sociais, tem um efeito multiplicador violento e os parlamentares sabem disso. Hoje, em poucos minutos, o cidadão tem condições de mandar um e-mail para seu vereador para cobrá-lo. E isso tem um peso enorme.

DOUTOR EM CIÊNCIA POLÍTICA, É PROFESSOR DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS PELA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS (FGV)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.