André Lessa/AE
André Lessa/AE

Sobe para cinco o número de mortos após chuvas em SP

Duas crianças morreram e uma mulher está desaparecida em Ribeirao Pires após deslizamento

Ricardo Valota e Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

21 Janeiro 2010 | 10h05

A chuva da madrugada desta quinta-feira, 21, voltou a deixar vítimas e a causar estragos em São Paulo. Com as cinco mortes registradas hoje, sobe para 55 o número de vítimas das chuvas no Estado de São Paulo.

 

O aposentado Roberto de Fazzio, de 75 anos, morreu soterrado em um desabamento na Rua Rifaina, na Pompeia, zona oeste. A terra de um barranco próximo deslizou com as águas da chuva e derrubou a casa da vítima, perto das 2 horas. Por volta das 4 horas, o corpo do aposentado foi retirado do local por equipes do Corpo de Bombeiros.

 

Na região do Grajaú, zona sul de São Paulo, uma menina também morreu na manhã desta quinta-feira, após ser levada para o no pronto-socorro. O desabamento atingiu sete pessoas por volta das 3h15.

 

Quatro pessoas foram socorridas e os bombeiros continuam os trabalhos de resgate a um casal adulto que está desaparecido, segundo relatos de moradores, informou o Centro de Operações dos Bombeiros (Cobom).

 

Em Mauá, no Grande ABC paulista, uma mulher morreu após um deslizamento de terra. Por volta das 4h45, uma casa na Rua Jair Donizeti Bonaza, na Chácara Maria Francisca, em Mauá, foi atingida por um desmoronamento de terra, soterrando três pessoas, dois adultos e uma criança.

 

Os bombeiros retiraram as vítimas, que foram socorridas por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levadas para o Hospital Nardini, onde a mulher faleceu.

 

Em Ribeirão Pires, na Grande São Paulo, um deslizamento de terra no Jardim Santo Bertoldo matou duas crianças - uma de 14 e outra de 8 anos. O Corpo de Bombeiros prossegue na busca de uma mulher também soterrada.

 

Um desmoronamento também foi registrado em uma casa no Jardim Oratório, atingindo uma criança de 3 anos, que foi resgatada com vida e levada para o Hospital Nardini. Segundo os bombeiros, não havia mais ninguém na casa.

 

 

Susto

 

Também foi registrado o desabamento de um barranco nas proximidades do número 2.000 da Avenida Sumaré, na região de Perdizes, zona oeste. A terra atingiu o trailer onde mora o caseiro José Pereira de Oliveira de 58 anos. Ele dormia no momento do acidente, pouco depois das 3 horas.

 

Oliveira acordou com o estrondo do deslizamento e conseguiu deixar o trailer pela parte de trás. Ele sofreu apenas pequenas escoriações nas mãos. "Eu vivi de novo. Dou graças a Deus que eu e o meu cachorro, o Mailon, estamos vivos", disse o caseiro.

 

Oliveira mora no trailer instalado no local há quatro anos e afirma nunca ter enfrentado problemas com a chuva. "Eu não esperava isso (o deslizamento).

 

Meu documentos e tudo o que eu tenho está lá dentro. Nem sei direito o que eu perdi de vez. Mas mesmo assim acho que tive sorte de escapar", avaliou.

Mais conteúdo sobre:
chuvas São Paulo deslizamento vítimas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.