Sobe para 36 o número de presos na operação da PM em Paraisópolis

Ação começou no dia 29 de outubro em meio a onda de violência na capital

Felipe Tau, O Estado de S. Paulo

06 de novembro de 2012 | 08h50

SÃO PAULO - A Operação Saturação da Polícia Militar na Favela de Paraisópolis, na zona sul da capital paulista, em vigor desde o dia 29 de outubro, prendeu 36 pessoas em flagrante por crime ou contravenção penal até as 3 horas da manhã desta terça-feira, 6. A ação tem como objetivo capturar criminosos e sufocar o tráfico de drogas na comunidade, de onde partiram ordens para a execução de policiais militares recentemente.

Além das prisões em flagrante, 11 procurados foram detidos e seis adolescentes apreendidos por ato infracional desde o começo da ocupação. Nesse período, 340 quilos de maconha e 38 quilos de cocaína foram recolhidos e foram apreendidas 50 unidades de drogas sintéticas, 16 armas de fogo e 351 munições.

Durante as buscas, foi encontrada também uma lista com nomes de 40 policiais marcados para morrer. Um total de 92 policiais militares foram mortos no Estado neste ano.

Na quinta-feira,1, a PM expandiu a Operação Saturação para os bairros de Campo Limpo e Capão Redondo, ambos na zona sul da capital, onde cerca de 300 homens foram escalados para trabalhar. Antes disso, na quarta-feira, 31, policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) entraram na favela São Remo em busca de suspeitos, ao lado do campus da Universidade de São Paulo, no Butantã.

A operação em Campo Limpo e no Capão Redondo começou às 17 horas de quinta e terminou às 6 horas de sexta. No total, 1071 pessoas foram abordadas e nove presas em flagrante. Foram apreendidas duas armas, sete munições, 5 kg de cocaína e 1,3 kg de maconha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.