Andre Penner/AP
Andre Penner/AP

Sobe para 25 número de presos na Favela de Paraisópolis

Operação Saturação, da Polícia Militar, apreendeu armas, munição e drogas na comunidade

O Estado de S. Paulo,

02 de novembro de 2012 | 16h50

SÃO PAULO - Vinte e cinco pessoas foram presas desde a madrugada de 29 de outubro pela Operação Saturação da Polícia Militar de São Paulo, que visa combater o crime na favela, em meio à onda de violência que tomou conta da cidade nas últimas semanas. Redução de furtos e roubos e fim dos pontos de tráfico de drogas são algumas das metas da ação que envolve mais de 500 oficiais.

 

De acordo com boletim divulgado pela PM atualizado com dados de até o meio-dia desta sexta-feira, 2, a operação também apreendeu 5 adolescentes e deteve seis foragidos da justiça. Quinze armas e mais de 300 munições foram encontradas.

 

A Polícia Militar também confiscou cerca de 26 quilos de cocaína e 333 de maconha, além de 50 unidades de drogas sintéticas.

 

O efetivo enviado a Paraisópolis é formado por policiais do Batalhão de Choque e do 16.º Batalhão da PM. São usados em toda a operação 100 carros, 2 caminhões, 28 motos, 8 cães, 60 cavalos e um helicóptero.

 

Expansão. Nesta quinta-feira, 1, a PM informou a expansão da Operação Saturação para os bairros de Campo Limpo e Capão Redondo, ambos na zona sul da capital. Nove pessoas foram presas nas duas comunidades entre as 17h desta quinta e as 6h de hoje, segundo a Polícia Militar. A ação é agregada à ocupação da favela de Paraisópolis.

 

Cerca de 300 policiais foram escalados para trabalhar nas novas regiões. A operação em Campo Limpo e no Capão Redondo começou às 17 horas desta quinta e terminou às 6 horas desta sexta. No total, 1071 pessoas foram abordadas e 9 presas em flagrante. Foram apreendidas duas armas, 7 munições, 5 kg de cocaína e 1,3 kg de maconha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.