Só em agosto todos os atrasos foram 'toleráveis'

Os relatórios do Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago) de 2012 registram ainda os índices de atrasos. Os dados são mensais e indicam o porcentual de atrasos superiores a 30 minutos nos voos domésticos e internacionais e ainda por companhia aérea. A Infraero considera crítico aqueles porcentuais maiores que 10%. Apenas em agosto nenhuma companhia ultrapassou esse nível.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

30 Março 2013 | 02h01

Em dezembro, por exemplo, a Gol atingiu índice de 12,29% de atraso nos voos internacionais; a TAM, de 21%. Nos voos domésticos, Avianca, TAM e Gol também registraram atrasos críticos.

Nos meses anteriores, os índices de atraso são maiores nos voos internacionais, atingindo em julho mais de 20% nas partidas da Gol com destino a outros países. Nos voos internos, TAM, Gol e Avianca registraram atrasos superiores a 12% nas operações de chegadas e partidas.

Classificação. Após o pedido do Estado, a Infraero informou que iniciou processo de classificação do sigilo das ocorrências contidas nos relatórios do Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago). O órgão sustenta que, como a classificação é uma atividade "complexa" e "volumosa", os demais dados precisam ser mantidos em sigilo e de acesso restrito.

O Parecer 135/2013, assinado pela Consultoria Jurídica da Infraero, informa que não há um ato administrativo que tenha classificado os dados, mas que o diretor de operações da Infraero e o superintendente de gestão operacional defendem o sigilo desses dados. O parecer não apresenta justificativa para a classificação nem a base legal para manter as informações de relevante interesse público em sigilo. /A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.