Só 1 em cada 3 brasileiros inscritos confirma interesse no Mais Médicos

Segunda fase. Conforme balanço divulgado ontem, 400 novos participantes escolheram atuar em 217 municípios e 10 distritos de saúde indígena e vão suprir apenas 2,4% da demanda apresentada por 4.025 municípios; vagas devem ir para formados no exterior

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2013 | 02h01

Até agora, só um em cada três profissionais brasileiros inscritos no Mais Médicos, somando as duas fases de seleção, confirmaram interesse no programa - 911 de 2.510. Ontem, foi anunciado o balanço do segundo mês e só 400 (28%) dos 1.414 que se cadastraram fizeram a necessária seleção de cidades.

Na primeira fase, pelos dados fechados até o dia 11, só 511 médicos brasileiros confirmaram a participação, o equivalente a 47% dos 1.096 que haviam se candidatado. A adesão foi suficiente só para atender a demanda de 216 municípios e 4 distritos de saúde indígenas, de um total de 453 que solicitaram a vinda de médicos.

Os 400 novos participantes escolheram atuar em 217 municípios e 10 distritos de saúde indígena. Entre os profissionais, 232 (61%) vão para municípios do interior e regiões de alta vulnerabilidade social, 157 seguirão para as periferias de capitais e regiões metropolitanas e 11 atuarão em distritos indígenas. Eles vão responder por apenas 2,4% da demanda por médicos apresentada pelos 4.025 municípios e pelos 35 distritos indígenas participantes, que apontaram a necessidade de terem 16.625 médicos atuando na Atenção Básica. Há ainda o risco de, como na primeira fase, não comparecerem aos postos.

Escolhidos por 160 participantes, os municípios da Região Nordeste terão o maior reforço, seguidos por Sudeste (90), Centro-Oeste (66), Sul (43) e Norte (30). Apesar da predominância nordestina, o ranking de Estados tem Goiás (48), Ceará (42), Bahia (35) e Pernambuco (33), Minas (32), São Paulo (27), Paraíba (26), Rio (24) e Rio Grande do Sul (15).

Vez dos estrangeiros. O Ministério da Saúde ressaltou que as desistências abriram mais espaço para que os estrangeiros possam selecionar os postos remanescentes. Até o momento, 410 profissionais com diploma de outros países concluíram a inscrição no Mais Médicos. Até amanhã, as vagas remanescentes serão oferecidas primeiramente aos brasileiros graduados no exterior e em seguida aos estrangeiros.

"A prioridade é a contratação de médicos brasileiros, mas não podemos deixar a população à espera de atendimento. Por isso, vamos continuar abrindo oportunidades para que médicos de outros países possam preencher as vagas", afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em discurso semelhante ao da presidente Dilma Rousseff (veja ao lado).

A segunda fase de seleção foi aberta dia 19 para adesão de novos municípios, que puderam se cadastrar até o dia 30 de agosto. Os profissionais selecionados nesta etapa iniciarão as atividades ainda na primeira quinzena de outubro, segundo o Ministério da Saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.