Skinhead suspeito de matar punk em SP é indiciado por homicídio doloso

Punks e skinheads brigaram em frente ao Carioca Club, em Pinheiros, no início do mês

estadão.com.br,

20 de setembro de 2011 | 10h55

SÃO PAULO - O skinhead Guilherme Lozano Oliveira, de 20 anos, suspeito de matar o punk Johni Raoni Falcão Galanciak durante uma briga na zona oeste de São Paulo, no começo do mês, foi indiciado nesta segunda-feira. Segundo a delegada Margarette Barreto, da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância de São Paulo (Decradi), ele foi indiciado por homicídio doloso.

 

O rapaz, de 19 anos, que estava detido no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHHP) foi transferido para um presídio na capital paulista. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) ainda não tem informação para qual presídio foi feita a transferência.

 

O confronto entre punks e skinheads aconteceu no dia 3 de setembro em frente ao Carioca Club, em Pinheiros, na zona oeste da capital, pouco antes do show da banda britânica Cock Sparrer. Oliveira diz que estava no local, mas nega que tenha matado Galanciak. A polícia chegou até o skinhead de orientação neonazista, apelidado Guilherme 13 pelos colegas, após ouvir cerca de 20 pessoas que estavam no local da briga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.