Site reúne principais rotas de bike paulistanas

Página da SPTuris traz várias informações, incluindo parques em que se pode pedalar

JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

30 de dezembro de 2012 | 02h01

Agora ficou mais fácil procurar informações sobre onde e como andar de bicicleta em São Paulo. A São Paulo Turismo (SPTuris) lançou um site específico sobre bikes, que inclui desde as principais rotas na cidade até dicas de segurança e de onde buscar informações sobre mobilidade.

Hospedado no endereço www.cidadedesaopaulo.com/ciclofaixa, o site foi criado por causa do sucesso das ciclofaixas de lazer, instaladas na cidade aos domingos e feriados. De acordo com o diretor da SPTuris, Arley Ayres, São Paulo vai juntar-se a outras grandes cidades do mundo que oferecem aos turistas a oportunidade de conhecer as principais atrações sob duas rodas. "A grande vantagem do site é que ele compila todas as informações mais importantes em um lugar só", diz.

Mapas. Na página, o turista encontra mapas que mostram todas as ciclofaixas, ciclovias e ciclorrotas do Município. Há também uma lista dos parques onde se pode pedalar e uma seleção de bicicletários e paraciclos disponíveis.

Quem precisar alugar bicicleta terá acesso às regras de empréstimo tanto do projeto Bike Sampa quanto das bikes da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Por fim, uma sessão inteira é dedicada a dicas de segurança, como andar de capacete, usar luzes de sinalização e não pedalar na calçada ou na contramão.

Em recente pesquisa feita pela SPTuris, foi constatado que 92% dos ciclistas que utilizam a ciclofaixa de lazer são paulistanos, o que faz Ayres acreditar que o site será útil também para os moradores da cidade. "Nosso foco principal é o turista, mas quem mora em São Paulo vai usar muito", diz.

Avaliação. Para o cicloativista Willian Cruz, o fato de o site ter sido criado pela Secretaria de Turismo e não pela Secretaria de Transportes é um sinal de que a bicicleta é importante para atrair pessoas para a cidade. "É um reconhecimento de que a bike é um chamariz de gente", afirma.

O diretor do Ciclocidade Thiago Bennichio faz uma única ressalva à página. Segundo ele, há uma confusão do termo ciclofaixa que, no site, é apresentado como o evento que acontece todos os domingos e feriados na capital. "A ciclofaixa descrita no código de trânsito é mais complexa, exigiria obras de engenharia e é alternativa para a cidade. Utilizar esse nome acaba desviando o interesse da população por essa ferramenta que está no código de trânsito." Ele recomenda apenas que seja discriminado no site as diferenças entre ciclofaixa e ciclofaixa de lazer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.