Sistema é mais econômico que o presencial

Para o governo federal, o projeto de visitas virtuais trouxe ainda economia: ao definir os mesmos equipamentos dessas visitas para a realização de videoconferências judiciais, os gastos do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) com as audiências presenciais despencaram.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

31 Março 2013 | 02h03

As audiências presenciais envolvem custos elevados com transporte de presos, mobilização de agentes federais para escolta, insegurança nos traslados e risco de fugas - nas contas do órgão, o custo de uma audiência presencial é de R$ 6.208,37 por preso, enquanto a videoconferência sai por R$ 660,63, utilizando os mesmos equipamentos do projeto visita virtual. A economia financeira já pagou o investimento com os equipamentos, segundo o Depen.

Ao longo de 2012 foram realizadas 151 videoconferências judiciais, número superior ao de audiências presenciais nas penitenciárias federais - 127. As 151 videoconferências judiciais mobilizaram 51 servidores, a um custo de R$ 99.755,75, incluindo gastos com passagens e diárias. As 127 audiências presenciais, por sua vez, envolveram o trabalho de 372 servidores, com um gasto de R$ 788,4 mil para os cofres públicos. /RAFAEL MORAES MOURA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.