Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Sistema Cantareira sobe pelo 17º dia consecutivo, diz Sabesp

Manancial está com 17,1% da capacidade ou, segundo novo cálculo, com 13,3%; outros cinco reservatórios também aumentaram

O Estado de S. Paulo

23 de março de 2015 | 09h05

SÃO PAULO - Pelo 17.ª dia consecutivo, aumentou o nível do Sistema Cantareira, que abastece de água mais de 5 milhões de pessoas em São Paulo. Nesta segunda-feira, 23, o manancial registrava 17,1% de sua capacidade total, ante 16,6% no domingo, 22. O 0,5 ponto porcentual de diferença fazem dessa a maior alta dos últimos 15 dias: no dia 9 de março, o Cantareira subiu 0,6 ponto porcentual.

Com 3,5 milímetros de chuva acumulados entre um dia e outro, o reservatório agora contabiliza 189,9 mm de água pluvial angariados ao longo de março, acima da média do mês, que é de 178 mm.

Mesmo conforme o novo cálculo adotado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) -- de divisão do volume armazenado sobre o total, que considera as duas cotas de volume morto adicionadas no ano passado --, o Cantareira subiu 0,4 ponto porcentual e opera com 13,3% de sua capacidade. No domingo, esse índice era de 12,9%.

Todos os demais sistemas de abastecimento hídrico da Grande São Paulo observaram alta entre domingo e esta segunda-feira. O que mais subiu proporcionalmente foi o Rio Claro, que passou de 41,3% de sua capacidade para 42,9%.

Em seguida, aparece o Sistema Guarapiranga, que subiu de 83% para 83,8%. O Alto Cotia, por sua vez, subiu 0,7 ponto porcentual, atingindo a marca de 62,9% de sua capacidade.

Já os Sistemas Alto Tietê e Rio Grande cresceram 0,2 ponto porcentual cada um, registando, respectivamente, 22,9% e 98,3%.

Apesar das altas nos mananciais, é importante frisar que São Paulo ainda vive a sua pior crise hídrica da história. A recomendação é pelo uso racional e consciente da água em todas as situações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.