Sistema Cantareira se mantém estável e quatro reservatórios perdem água

Neste domingo, após quase seis meses, o reservatório voltou a ter queda no nível de armazenamento; a capacidade se manteve estável nesta segunda

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2016 | 10h23

Com tempo seco e sem chuvas em abril, o Sistema Cantareira se manteve estável nesta segunda-feira, 18, com 66,1% da sua capacidade. Após quase seis meses sem registrar perda de água, o manancial responsável por abastecer 5,2 milhões de habitantes da capital, da Grande São Paulo e de parte do interior, voltou a ter queda no nível de armazenamento neste domingo, 17, após quase seis meses, quandou caiu 0,1 ponto porcentual, segundo boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Na região que abastece o Cantareira, a pluviometria acumulada deste mês  registra 0,9 milímetros, ante 88,7 milímetros da média histórica para abril. Nesta segunda-feira, 18, o Sistema Rio Claro também se manteve estável (101,6%), enquanto o nível de armazenamento de todos os outros reservatórios caiu.

Outros mananciais. O Guarapiranga teve queda de 0,3 ponto porcentual, atingindo 82,4%. Já o Alto Tietê, que juntamente com o Guarapiranga ajudou a "salvar o Cantareira", caiu 0,1 ponto porcentual. O Sistema opera com 41,4%, ante 41,5% do dia anterior.

A maior queda ocorreu no Sistema Rio Grande, que teve perda de água armazenada em 0,5 ponto porcentual nas últimas 24 horas. O Rio Grande tem 90,4% da sua capacidade - neste domingo, era 90,9%. O nível de água no Alto Cotia também caiu, passando de 99,3% para 99,1%, uma queda de 0,2 ponto porcentual.

Tudo o que sabemos sobre:
Grande São PauloSabesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.