Sindicato quer estender serviço até as 14 horas

O presidente do Sindicato dos Feirantes de São Paulo, José Torres Gonçalves, vai pedir nova prorrogação do horário de funcionamento das feiras livres da capital. O sindicalista quer que a comercialização dos produtos seja autorizada até as 14 horas e a desmontagem e ensacamento do lixo sejam feitos até as 15 horas. A regra única valeria para todos os tipos de feirantes: caldo, pastel, verduras, legumes e frutas.

O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2011 | 03h03

Uma minuta do projeto de lei elaborado pelo departamento jurídico da entidade deverá ser encaminhada ainda neste mês à Câmara Municipal, segundo ele. No entendimento de Gonçalves, uma hora para os feirantes recolherem todos os equipamentos e produtos das bancas, limparem as sobras e desbloquearem a via totalmente para o tráfego local é suficiente. "Não podemos desmontar as bancas enquanto os clientes ainda estão comprando. As pessoas continuam indo às compras no fim da feira, depois das 12h30, 13 horas." / L.A. e F.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.